João Pessoa
Feed de Notícias

Conselho firma termo com Centro Dom Helder Câmara e Unicef para proteção integral

sexta-feira, 7 de novembro de 2014 - 17:01 - Fotos:  SECOM-PB

O Conselho Estadual de Defesa de Crianças e Adolescentes (Cedca-PB) firmou, nesta semana, um termo de parceria para desenvolver ações conjuntas com Pernambuco e Alagoas para potencializar e fortalecer a proteção de crianças e adolescentes nos três estados. O documento foi firmado entre os estados, o Centro Dom Helder Câmara de Estudos e Ação Social (Cendhec) e o Fundo das Nações Unidas (Unicef).

A assinatura aconteceu durante o lançamento do projeto “Tecendo redes pela proteção integral à Infância e Adolescente: contribuindo com o fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos em Pernambuco, Alagoas e Paraíba”. O evento foi organizado pelo Centro Dom Helder Câmara de Estudos e Ação Social (Cendhec), em parceria com o Fundo das Nações Unidas (Unicef) e os Conselhos Estaduais dos Direitos da Criança e do Adolescente de Pernambuco, Paraíba e Alagoas no início da semana.

A presidente do Conselho Estadual de Defesa de Crianças e Adolescentes (Cedca-PB) e Coordenadora da Escola de Conselhos da Paraíba, Carmen Meireles, destacou que a Paraíba vem desenvolvendo um trabalho intenso e comprometido de enfrentamento à violência contra criança e adolescentes.

Nos últimos quatro anos, foram concluídos os planos de proteção à criança e adolescente, também foram desenvolvidas campanhas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Humano para o enfrentamento ao abuso e exploração sexual infantil, assim como ao trabalho infantil. O Governo também implantou o Disque 123, que funciona para denúncias de qualquer tipo de violência. Outro aspecto importante são as qualificações que estamos oferecendo aos conselheiros tutelares e de direito por meio da Escola de Conselhos”, resumiu.

Prioridade – Ainda de acordo com Carmen Mereles, será realizado um mapeamento das principais experiências de proteção à infância e adolescência nos mega eventos culturais, religiosos e esportivos e no contexto das grandes obras para definir ações que venham minimizar e reduzir os índices de ameaças e/ou violações de direitos de crianças e adolescentes.