Fale Conosco

1 de setembro de 2009

Conselho de Saúde aprova projeto de fluoretação da água de JP e CG



O Conselho Estadual de Saúde (CES) aprovou por unanimidade, nesta terça-feira (1º), o projeto que vai garantir a fluoretação da água que abastece as regiões polarizadas por João Pessoa e Campina Grande. O objetivo do Governo do Estado é reduzir em 50% o índice de cárie na população desses municípios, através da adição do flúor à água consumida pelos paraibanos. Para isso, serão investidos R$ 3,6 milhões num período de cinco anos. O próximo passo é encaminhar o projeto ao Ministério da Saúde (MS). A idéia é, no futuro, estender o benefício a todos os municípios paraibanos.

A ingestão do flúor através da água fluoretada e o seu uso constante fazem com que ele seja incorporado ao esmalte dos dentes, tornando-o mais resistente. Segundo pesquisa da UFPB, a Paraíba é o Estado do Nordeste com menor número de cidades beneficiadas pela fluoretação da água. Apenas Alagoinha e Baia de Traição contariam com o serviço.

O estudo também revelou que 70% das crianças de João Pessoa, com 12 anos de idade, têm mais de três cáries, o que poderia ser evitado se água fosse fluoretada. “A fluoretação da água vai fazer com que tenhamos, no futuro, crianças com menor índice de cáries e que não vão precisar ir com tanta frequência aos consultórios odontológicos. O benefício desse projeto é muito maior do que os custos”, disse o professor de Cariologia da UFPB, Fábio Sampaio, que antes da votação, apresentou o projeto aos conselheiros.

Segundo Niedja Rodrigues, gerente-executiva da Atenção Básica em Saúde da SES, o próximo passo será enviar o projeto à Fundação Nacional de Saúde (Funasa), para avaliação. “A nossa preocupação em submeter o projeto à apreciação do CES era garantir os recursos financeiros, para que possamos começar a colocar as ações em prática o mais rápido possível”, disse. O dinheiro será aplicado na aquisição de equipamentos e insumos e na capacitação de pessoal.

O projeto foi elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Funasa e UFPB. “Esse projeto é um desafio para o Governo do Estado diante da comprovação de que a fluoretação diminui, significativamente, o índice de cárie na população. Vamos nos empenhar para que ele seja colocado em prática o mais rápido possível, primeiramente, em João Pessoa e Campina Grande, mas o nosso objetivo é que ele atinja todo o Estado, futuramente”, afirmou Lourdinha Aragão, secretária-executiva da SES.
 

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB