João Pessoa
Feed de Notícias

Congressos de HIV/Aids e Hepatites Virais foram encerrados nesta sexta-feira no Centro de Convenções

sábado, 21 de novembro de 2015 - 11:04 - Fotos:  Ricardo Puppe

A solenidade de encerramento do X Congresso de HIV/Aids e do III Congresso de Hepatites Virais foi realizada na tarde dessa sexta-feira (2), à tarde, no Centro de Convenções de João Pessoa, local que sediou os eventos no período de 17 a 20 deste mês, com 2.960 participantes, sendo 900 da Paraíba e 29 de outros países, a exemplo dos Estados Unidos, Peru, Angola, Moçambique e outros. Foram 67 palestrantes nacionais e dez internacionais; 2.044 trabalhos científicos inscritos e 150 aprovados e expostos; lançamentos de livros, documentários e vídeos; 65 plenárias; oito oficinas; nove bate-papos e 25 experiências bem-sucedidas.

A atração cultural da sessão solene ficou por conta das performances das integrantes da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). Os Congressos foram realizados pelo Ministério da Saúde, por meio do Departamento de DST, Aids e Hepatites, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba (SES).

“Durante o congresso, celebramos uma revolução no tratamento da Hepatite C. Por meio dos novos medicamentos, já disponíveis no Brasil, há chance de cura para 90% dos pacientes e os outros 10% também terão a oportunidade de cura, muito em breve. A Aids também caminha para a cura e há muitas novidades no campo da prevenção, além da camisinha, a exemplo do comprimido que se toma duas horas antes da relação sexual”, festejou o diretor do Departamento, Fábio Mesquita.

“Ainda temos grandes questões a serem discutidas, mas, todos nós saímos destes congressos mais fortalecidos para a luta”, falou, ao mesmo tempo em que agradeceu o apoio e acolhida do Governo do Estado, por meio dos servidores da SES,  a quem  pediu que  o público aplaudisse de pé.

A gerente operacional de DST/Aids e Hepatites Virais da SES, Ivoneide Lucena, lembrou que 90 servidores da  Secretaria participaram da organização do evento, que foi preparado durante um ano e meio. “Valeu a pena todo esforço e empenho, pois o evento foi um grande sucesso. Todos nós saímos daqui diferentes e retornaremos para casa com um olhar diferenciado e espero que este mesmo olhar chegue aos serviços e até aos usuários do SUS. O Brasil ganha muito com isso e que bom que tudo aconteceu na nossa Paraíba, que continua de braços abertos para novas parcerias”, falou.

Ações de Saúde na Paraíba – A secretária executiva de Estado da Saúde, Maura Sobreira, foi palestrante de uma das sessões paralelas dos Congressos, na tarde dessa sexta-feira. Ela apresentou as ações da SES na atenção integral às pessoas vivendo com HIV/Aids. “A mesa foi bem interessante porque teve o olhar das três esferas da gestão: o Ministério da Saúde com proposta de reorganização do modelo de atenção, da experiência de Maceió e as ações da SES”, falou.

Maura mostrou os dados da Paraíba referentes à Aids, onde demonstram que a doença  atinge mais pessoas do sexo masculino, heterossexuais, com a maior prevalência na faixa etária de 30 a 39 anos,  sendo que em 2015 a idade mais atingida está sendo entre 20 e 29 anos. Outro dado é que os óbitos estão diminuindo no Estado.

A secretária apresentou as ações no Estado para o combate a Aids. Na prevenção, são distribuídos preservativos, realizadas campanhas informativas e qualificação dos trabalhadores em saúde, com ênfase na educação permanente. Na assistência, é oferecido o diagnóstico por meio do teste rápido, em hospitais, Unidades Básicas de Saúde e Estratégia de Saúde da família e construção da rede de cuidados integral e regionalizada.

Ainda é feita articulação com os movimentos sociais/ONGs, editais de incentivo às ONGs, participação em fóruns temáticos e fortalecimento do controle social. Maura Sobreira informou ainda que é feito o teste rápido e aconselhamento para pessoas privadas de liberdade com qualificação das equipes de saúde nos presídios, que está sendo implantado o comitê estadual de saúde integral da população LGBT e que, atualmente, 172 municípios paraibanos estão realizando testes rápidos para detecção de HIV, sífilis e hepatites B e C.