João Pessoa
Feed de Notícias

Conferência Estadual de Saúde é encerrada no Espaço Cultural

sexta-feira, 18 de setembro de 2015 - 12:18 - Fotos: 

A 8ª Conferência Estadual de Saúde foi encerrada nessa quinta-feira (17), no Espaço Cultural, em João Pessoa. Durante todo o dia foram realizados debates, mesas, grupos de trabalho e rodas de conversa discutindo propostas de melhorias do Sistema Único de Saúde. Além disso, na Tenda Paulo Freire houve o lançamento do livro sobre Saúde da Família.

“Essa conferência é um momento importante para o Estado da Paraíba por ser o momento onde consolidamos as propostas para o melhoramento do SUS. Aproximadamente 1300 pessoas estão participando do evento, que é realizado a cada quatro anos, e é isso que queremos, a participação de todos em prol de um SUS melhor para todos”, disse o presidente do Conselho Estadual de Saúde e da Conferência, Eduardo Cunha.

Uma das delegadas participantes da conferência, Maria Gouveia, ressaltou a importância da participação no evento. “Esse momento é de extrema importância para nós que desejamos um SUS digno para todos. Estamos aqui lutando por isso, pelo nosso direito a um SUS de qualidade, por isso esse momento deve ser aproveitado ao máximo com a construção de propostas com essa finalidade”, disse.

Pela manhã, houve a continuação dos grupos de trabalho. À tarde, na Tenda Paulo Freire, foi realizado o lançamento do livro “Saúde da Família na Paraíba: experiências e reflexões de profissionais e gestores do SUS”, pela Editora Imprell e pela Coleção Nuplar/UFPB. A publicação foi concebida no Curso de Especialização em Saúde da Família realizado pelo Departamento de Promoção da Saúde/CCM/UFPB e Centro Formador de Recursos Humanos da Paraíba (Cefor-PB).O livro reúne alguns dos trabalhos finais do curso.

Para Pedro Cruz, professor da UFPB, o livro é importante por divulgar reflexões e experiências de trabalhadores e gestores do SUS em todo o Estado. “Na verdade, estamos construindo práticas, iniciativas e experiências para mostrar que os SUS que a gente acredita não é apenas um sonho, ele pode se tornar realidade, e para isso, é preciso muita ousadia, coragem e criatividade. O livro dá vez e voz para que os profissionais do SUS falem como isso é possível, e também tragam reflexões das dificuldades e obstáculos que eles sentem no cotidiano”, explicou.

Simultaneamente ao lançamento do livro, foi oferecido Reiki para os participantes. “Como práticas integrativas, nós fazemos parte da Atenção Básica e estamos aqui com servidores que utilizam esse espaço pra aplicar o que aprenderam com a gente. Estamos aqui para divulgar as práticas integrativas como uma forma de medicina tradicional, que hoje, com uma nova roupagem, chega como uma ferramenta de custo baixo pra fazer o trabalho preventivo, trazendo ferramentas não invasivas, que as pessoas quando conhecem ficam bem satisfeitas e saem indicando para todos os amigos, como por exemplo, a fitoterapia, yoga, Reiki, entre outros”, explicou a coordenadora de Práticas Integrativas do município de Joao Pessoa, Mônica Maria da Silva.

Em seguida, foi dado início à escolha dos delegados e a plenária final. “Ter a possibilidade de fazer parte disso, de estar aqui lutando por um Sistema Único de Saúde de qualidade é uma honra para mim e faz desse momento algo ímpar na vida de todos que estão presentes. Mesmo em meio a tantos debates e discussões, no final estamos todos aqui com a mesma finalidade, e isso fortalece nossa luta”, disse a delegada participante da conferência, Luzia de Almeida.

As sugestões apresentadas no evento estadual serão consolidadas para a 15ª Conferência Nacional de Saúde, que acontecerá no período de 1º a 4 de dezembro, em Brasília.

Clementino Fraga – Durante os três dias de evento, uma equipe do Hospital Clementino Fraga esteve presente com uma UTI móvel, para possíveis intercorrências. Sob a direção de Adriana Teixeira, a equipe com médico, enfermeiro e técnico em enfermagem realizou alguns atendimentos, como verificação de pressão e curativos.

“Os pacientes que tiveram alguma intercorrência foram atendidos e medicados, ficaram em observação na UTI móvel, e foram liberados após melhora do quadro clínico. Podemos dizer que nesse sentido o evento foi bem tranquilo, sem maiores problemas”, disse Aparecida Cavalcanti, enfermeira e coordenadora de Eventos do Hospital Clementino Fraga.