João Pessoa
Feed de Notícias

Concerto da Orquestra Sinfônica têm regência de maestro argentino e participação de oboísta de São Paulo

terça-feira, 3 de outubro de 2017 - 12:33 - Fotos:  Thercles Silva

O músico Joel Gisiger, primeiro oboé da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), será o solista do 13º Concerto Oficial da Temporada 2017 da Orquestra Sinfônica da Paraíba, que terá como regente convidado o maestro argentino Gustavo de Paco, professor da Universidade Federal da Paraíba e flautista da sinfônica paraibana e da Orquestra Municipal de Recife.

O concerto acontece nesta quinta-feira (05), às 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural. Os ingressos custam R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia).

“Estou ansioso para fazer esse concerto com a orquestra. Eu tenho ouvido falar muito bem dessa orquestra, que tem uma história maravilhosa, muito conhecida, desde a época do maestro Eleazar de Carvalho, que esteve aqui e fez um projeto maravilhoso, que acabou inclusive inspirando a Orquestra do Estado de São Paulo, a Osesp, também regida pelo maestro Eleazar de Carvalho, dando início à uma nova orquestra, logo após o falecimento dele, em 1996”, disse o oboísta Joel Gisiger.

“Eu acredito que a maior expectativa é o fato das orquestras serem praticamente irmãs, ou talvez, primas. São orquestras com um histórico bem parecido, um histórico de interesse do Estado, onde a cultura é um bem que a gente não pode perder e a gente deve investir. Então eu vejo com a maior alegria o fato de poder interagir com a orquestra nesse sentido”, completou.

Joel Gisiger será o solista do ‘Concerto em Ré maior para Oboé e Pequena Orquestra’, do alemão Richard Strauss (1864 – 1949), um dos mais importantes e admirados compositores do século 20. A música de outro alemão será executada em seguida pela OSPB. É a ‘Sinfonia n. 4 em Mi menor, Op. 98’, de Johann Brahms (1833-1897), cujas composições, influenciadas por Bach e Haendel, apresentam uma surpreendente harmonia entre o classicismo e o romantismo.

Sobre a composição de Richard Strauss, o oboísta Joel Gisiger explica que o concerto é um dos mais importantes da literatura de oboé. “Ele foi escrito depois que um oboísta americano, John de Lancie, que era segundo oboísta da Orquestra da Filadélfia, estava na região da Bavária, na cidade de Garmicsh, quando era soldado durante a segunda guerra mundial, e foi à casa de Strauss, de quem era grande admirador. Perguntou então se ele não tinha interesse em fazer um concerto para oboé. Ele não falou nada na hora, mas considerou e escreveu esse concerto, que estreou em Zurich, na Suíça, em 26 de fevereiro de 1946”, contou.

Segundo Joel, o que é mais interessante nesse concerto é que tem frases grandes. “Esse concerto é tocado principalmente por oboístas que têm a respiração circular, ou seja, que podem tocar o oboé e ao mesmo tempo respirar, por causa dessas frases muito longas que Strauss escreveu. São frases grandiosas, lindíssimas, muito melodiosas, e ao mesmo tempo técnicas, com passagens virtuosísticas no meio”, observou.

“Eu convido a todo o pessoal da cidade, que gosta de música clássica e mesmo as pessoas que não conhecem a música clássica, mas que tenham interesse, que venham assistir a esse concerto. Vão sair muito satisfeitos, eu tenho certeza. E a minha expectativa é das melhores possíveis, podendo fazer esse concerto com uma orquestra que eu considero uma orquestra irmã ou uma orquestra prima da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo”, finalizou o músico.

Solista

Joel Gisiger nasceu em São Paulo (SP) e atualmente está como primeiro oboé da Orquestra Sinfônica do Estado, onde atua há quase 30 anos. Iniciou seus estudos de oboé em 1983 na Escola Municipal de Música de São Paulo, e em 1989 recebeu por concurso uma bolsa de estudos pela Fundação Vitae para a Academia da Filarmônica de Berlim – Fundação Karajan – passando a ter aulas com o lendário Lothar Koch.

Como professor, participou de edições do Festival Internacional de Música de Brasília, Festival de Inverno de Campos do Jordão e Festival de Música de Londrina, além de receber diversos convites para ministrar master classes. É professor da Escola municipal de Música de São Paulo, do Instituto “Jovens Baccarelli” e da Academia da Osesp. Tem se apresentado como solista em diversas orquestras, destacando-se dentre muitas, a Orquestra Sinfônica de Santo André, a Orquestra de Câmara São Paulo, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra Virtuosi e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, nesta última realizando a primeira audição Latino Americana do Concerto para Oboé de Alfred Schnittke.

No exterior, Gisiger tocou como camerista no Castelo de Charlotenburg (Berlim), na Orquestra da Academia (Fundação Karajan) e no Quinteto de Sopros da Akademie, além de ter tocado na Filarmônica de Berlim em concerto sinfônico.

Desenvolveu trabalho camerístico com o Quinteto de sopros de Curitiba, com quem se apresentou em concertos nas cidades de Stuttgart e Munique.  Mantém atividade regular com o Quinteto de Sopros da Osesp, ministrando aulas e master classes no interior do Estado de São Paulo e pelo Brasil. É membro fundador do Quinteto de Sopros “Camargo Guarnieri”. É primeiro oboé-solo da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) onde atua desde 1988, com a qual excursionou as principais salas de concertos do mundo e gravou inúmeros registros em vídeo e sonoros.

Regente

Nascido em Buenos Aires, Argentina, e radicado em João Pessoa, o instrumentista e regente Gustavo de Paco de Gea é professor da UFPB desde 1978, flautista das Orquestras Sinfônicas da Paraíba e do Recife e foi membro fundador do Quinteto Latino-americano de Sopros. Como regente, é ganhador de prêmios nacionais e internacionais, tendo sido o criador da Orquestra de Câmara Municipal de João Pessoa. Dedica especial atenção à divulgação da música nordestina nos países da América do Sul. É maestro e diretor artístico da Orquestra Criança Cidadã, regendo essa instituição juvenil nas cidades de Recife, Brasília e Kassel (Alemanha).

Gustavo de Paco graduou-se pelo Conservatório Juan José Castro. Após trabalhar alguns anos como flautista em orquestras argentinas, transferiu-se no ano de 1978 para o Brasil, como professor convidado da Universidade Federal da Paraíba, onde ensina no Curso do Bacharelado e Licenciatura em Música. É membro fundador e flautista da Orquestra Sinfônica da Paraíba desde 1980 e desempenha o mesmo papel na Orquestra Sinfônica do Recife desde 1985.

Foi professor convidado de flauta do Centro de Criatividade Musical de Recife, assumiu a preparação dos sopros da Orquestra Jovem e da Camerata Jovem da Paraíba, e desde 1998 prepara também os sopros na Orquestra Infantil da Paraíba. Foi regente titular e diretor artístico da Orquestra de Câmara da Prefeitura Municipal de João Pessoa, tendo sido o criador do projeto, envolvendo músicos jovens da região. Hoje, dedica especial atenção à divulgação da música nordestina nos países da América do Sul.

Próximos concertos

A Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB) fará o último concerto do ano dentro do projeto OSPB nos Bairros no dia 19 deste mês, na Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves. Em novembro, se apresenta nos dias 16 e 30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira. Já a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) tem concertos agendados para 26 de outubro e 23 de novembro, no mesmo local. 

Serviço:

13º Concerto Oficial da Temporada 2017 da Orquestra Sinfônica da Paraíba

Regente: Gustavo de Paco

Solista: Joel Gisiger (oboé)

Dia: 05/10/2017 (quinta-feira)

Hora: 20h30

Local: Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural

Ingresso: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia)