João Pessoa
Feed de Notícias

Comunidades rurais recebem alevinos para peixamento de açudes no Brejo paraibano

terça-feira, 27 de outubro de 2015 - 12:06 - Fotos:  Secom-PB

Mais de 500 famílias de Guarabira, na região do Brejo da Paraíba, foram beneficiadas com 40 mil toneladas de alevinos das espécies Tilápia e Tambaqui.

A ação do Governo do Estado por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, junto a Emater e Empasa, foi realizada em 50 açudes nas comunidades rurais do município de Guarabira.

“A importância dessa ação de Governo é mostrar que temos as condições perfeitas no estado para sermos grandes produtores de tilápia, uma iguaria que precisamos difundir e estamos agregando valor para produção em grande escala. Nossa estimativa, enquanto Governo, é entregar gratuitamente mais de dois milhões e meio de alevinos em todas as regiões, onde tiver água, dentro das prioridades nós vamos orientar os criadores para garantir que eles tenham cem por cento de aproveitamento da produção”, explica o secretário executivo da Pesca, Sales Dantas.

A entrega ocorreu na cidade de Guarabira e teve a presença de vários criadores interessados em informações sobre a tilapicultura na palestra apresentada pelo secretário Sales Dantas. “O cultivo da tilápia já é uma realidade no nosso estado e com essa cobertura oferecida pelo Governo agora podemos melhorar não só a alimentação mas também a renda das nossas famílias é só colocar a mão na massa”, diz o criador José Leite.

Segundo o Engenheiro de Pesca, David Capistrano, atualmente cada região brasileira vem se especializando em determinados tipos de pescado. Na Região Norte, por exemplo predominam peixes como o tambaqui e o pirarucu.

No Nordeste, a preferência é pela tilápia e pelo camarão-marinho. No Sudeste, a tilápia tem grande presença na aquicultura. No Sul, predominam as carpas, as tilápias, as ostras e os mexilhões. “Aqui na Paraíba estamos muito bem na produção de tilápia e o nosso objetivo é ampliar a capacidade de produção utilizando métodos simples que fazem com que o criador se conscientize que o peixe é uma solução econômica viável”, salienta David.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), atesta que o pescado é a proteína animal mais saudável e consumida no mundo. Os brasileiros ultrapassaram o consumo mínimo de pescado recomendado pela OMS que é de 12 quilos por habitante ao ano. No Brasil, o consumo já chega a 14,5 quilos por habitante/ano de acordo com o último levantamento feito em 2013.