Fale Conosco

5 de setembro de 2011

Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira investe em qualidade dos serviços e tratamento humanizado



O Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira está investindo na qualidade dos serviços de saúde e humanização do atendimento aos pacientes e adquiriu um aparelho desfibrilador com carrinho para socorro em casos de paradas cardiorrespiratórias, medicamentos específicos para emergência e treinamentos de suporte à vida.

O quadro de profissionais do Espaço Inocêncio Poggi, uma divisão anexa ao complexo, foi ampliado e recebeu mais um médico psiquiatra, um psicólogo e dois técnicos de enfermagem. Também foi adquirida rouparia de banho para os pacientes.

O complexo psiquiátrico tem 250 leitos e, de acordo com a superintendente Flávia Fernando Lima Silva, está havendo uma mudança gradual no cuidado com o paciente e suas demandas. Para a superintendente está sendo valorizado o diálogo com a Rede de Pronto Atendimento em Saúde Mental (PA) para ampliar a atenção aos pacientes. O objetivo é diminuir o tempo de internação dos pacientes para, posteriormente, encaminhá-los para os Centros de Atenção Psicossocial (Caps).

Para Flávia Lima o tratamento a essas pessoas deve acontecer em toda a rede e não apenas no Complexo Juliano Moreira. “O ideal é que os pacientes fiquem internos somente em momentos de crise e depois sejam atendidos pelas equipes multidisciplinares dos Caps, com atividades educativas, de lazer e inserção social. Precisamos cuidar do paciente com sofrimento psicológico com internações de vários tipos”, explica a superintendente.

Em maio deste ano, aconteceram duas semanas de atividades em comemoração à luta antimanicomial, com cursos de música, teatro, oficina de artes e materiais reciclados. Além disso, o Complexo está desenvolvendo processo de educação permanente para os funcionários, em acordo com a Reforma Psiquiátrica, com foco no atendimento humanizado.

No dia 15, a partir das 14h, será promovida no auditório do Complexo Juliano Moreira uma roda de diálogo com os funcionários da instituição, abordando o tema intervenção e crise. Participarão do encontro o médico psiquiatra Heydrich Virgulino e a psicóloga Camila Neiva.

Também acontecerão reuniões de discussão de casos clínicos em todas as alas do complexo psiquiátrico, com a execução de um projeto terapêutico que envolverá todas as especialidades para discutir em equipe o tratamento de cada caso.

Espaço Inocêncio Poggi – No Espaço Inocêncio Poggi, há 16 leitos para tratamento de dependentes químicos. O espaço foi construído há pouco mais de um ano e os internos são atendidos por uma equipe multidisciplinar com médico clínico, psiquiatra, odontólogo, psicólogo, fonoaudiólogo e assistente social.

Esse anexo tem convênio com o Espaço Cultural José Lins do Rego, para onde os internos são levados aos sábados para participar de rodas de capoeira.

Flávia Lima explica que a gestão no Complexo Juliano Moreira é compartilhada: “Os usuários dão sugestões. Na última quarta-feira, por exemplo, convocamos todos os funcionários do Espaço Inocêncio Poggi e realizamos uma assembléia onde foi discutido o atendimento com foco no usuário cidadão”, disse.