Fale Conosco

22 de agosto de 2013

Complexo Juliano Moreira realiza projeto ‘Cozinha Experimental’



O Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, que integra a rede hospitalar estadual, vai realizar o projeto Cozinha Experimental nesta sexta-feira (23). O projeto, que já existia no hospital e estava parado, foi repensado pela equipe do Serviço de Nutrição e Dietética do complexo, e voltou a ser realizado em outubro do ano passado. O ‘Cozinha Experimental’ é uma capacitação para pacientes do hospital, onde eles vão participar de uma atividade de ocupação terapêutica e capacitação profissional, aprendendo receitas fáceis.

Segundo a coordenadora do setor, Patrícia Bezerra, para a realização do projeto é feita uma triagem pela equipe multidisciplinar (psicólogos, enfermeiros, médicos, assistentes sociais) para reunir os pacientes que se encontram em condições de participar. “Na Cozinha Experimental a gente faz as receitas mais fáceis possíveis, como biscoitos caseiros, mousses, coquetéis, sucos, tônicos. Fazemos receitas adaptadas para que os pacientes tenham esse momento de terapia com a psicóloga, como também tenham sociabilidade. O objetivo é que voltem à sociedade com um aprendizado a mais que adquiriram conosco. Assim, quando os pacientes tiverem alta eles podem inclusive ter uma fonte de renda fazendo as receitas em versões bem fáceis”, explicou Patrícia.

Ainda segundo a coordenadora, durante a capacitação os pacientes não têm contato com objetos cortantes. É usado material de apoio como fotos e vídeos. Os pacientes passam pela higienização das mãos, recebem o gorro de mestre-cuca, o avental, as luvas e a máscara para ficarem caracterizados, e aprendem a importância da higienização dos alimentos. Os pacientes executam as receitas e dão notas aos resultados, dizem se a receita foi fácil ou difícil. “Os pacientes ficam fascinados com tudo aquilo que a gente passa para eles. Além disso, contamos com a ajuda de assistente social, psicóloga, auxiliar de nutrição, e nutricionista interagindo com os pacientes”, disse a coordenadora.

Todas as receitas executadas na Cozinha Experimental são levadas para degustação. Em cada etapa participam em média cinco pacientes, pois em grupo menor os instrutores conseguem dar melhor atenção a cada um, obtendo resultados melhores. “Com esses cuidados, carinho e atenção, conseguimos melhorar a capacitação, buscando a sociabilidade dos pacientes. Eles recebem todas as receitas que foram ensinadas no evento, e sentem-se animados a praticar aquilo, seja como terapia ou como fonte de renda futura, e isso deixa nossa equipe muito feliz, pois trabalhamos com muito carinho para promover esses eventos”, concluiu.