Fale Conosco

24 de março de 2014

Companhias aéreas devem ampliar número de operações na Paraíba e CVC fretará voos durante o São João



A Paraíba deve começar a receber voos novos das quatros companhias aéreas que já operam no Aeroporto Presidente Castro Pinto, na Região Metropolitana – TAM Azul, Gol e Avianca -, e o Aeroporto João Suassuna, em Campina Grande, está inserido nos estudos para início de operações da Avianca e Azul. O Estado também deve confirmar nos próximos dias o início de fretamentos de voos em parceria com a Operadora CVC.

A informação é do secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Renato Feliciano, que participou na semana passada de quatro reuniões com os diretores das companhias aéreas e da CVC, em São Paulo. Durante os encontros, o secretário apresentou dados sobre o crescimento da movimentação de passageiros no Castro Pinto – crescimento de 6,29% nos dois primeiros meses de 2014 -, além da ocupação hoteleira que, no acumulado de janeiro e fevereiro, ficou em 78,69%.

Os diretores das companhias aéreas foram muito receptivos com os dados que foram apresentados e informaram o início de estudos para iniciar futuras operações em João Pessoa e Campina Grande”, afirmou o secretário. Além de João Pessoa, o interesse de investir em Campina Grande, em especial durante o período junino, ficou evidente, principalmente para os executivos da CVC, que devem anunciar em breve o fechamento de voos fretados, que envolverão também a capital paraibana.

Além de apontar o crescimento sustentável dos indicadores de movimentação de turistas na Paraíba, Renato Feliciano apresentou uma proposta de incentivo fiscal – redução de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no combustível de aviação -, por determinação do governador Ricardo Coutinho. Nesse item, pontuou o secretário, as companhias aéreas terão que se comprometer a operar voos em horários melhores para os passageiros, buscando reduzir consequentemente o período ocioso do aeroporto, que gira em torno de 12 horas diárias.

Essa proposta foi muito bem aceita pelos diretores das empresas, mas, segundo Tarcísio Gargioni, vice-presidente Comercial e Marketing da empresa da Avianca, não será elemento determinante para a empresa iniciar voos em Campina Grande e ampliar de dois para três as operações em João Pessoa. “Percebemos que há uma grande demanda de passageiros nesses dois destinos e estamos finalizando alguns projetos para anunciar as novas operações na Paraíba”, enfatizou o executivo. A Avianca receberá sete aviões A-320 para reforçar a sua frota nos próximos meses.

Já o presidente da CVC, Eduardo Falcon, vê na Paraíba, assim como todo o Nordeste, um excelente mercado não apenas para a aviação comercial, mas para toda a cadeia do turismo. Na opinião do executivo, a região será a maior beneficiada com a Copa do Mundo, porque, além de ter quatro cidades-sedes – Salvador, Recife, Natal e Fortaleza – será foco das atenções após o encerramento da primeira fase da competição. Dados da Embratur indicam que o Brasil receberá 600 mil turistas e essas pessoas, segundo Falcon, irão buscar destinos novos, como a Paraíba, que está entre as quatro cidades-sedes do Nordeste.

Reuniões – As reuniões nas companhias aéreas contaram com a participação da secretária de Turismo de Campina Grande, Catharine Brasil; da presidente da PBTur – Empresa Paraibana de Turismo, Ruth Avelino; e do presidente da Abav-PB – Associação Brasileira das Agências de Viagem, secção Paraíba, Breno Mesquita, responsável pelo agendamento dos encontros com os executivos das empresas aéreas.