Fale Conosco

19 de novembro de 2012

Começam preparativos para 17º Salão de Artesanato da Paraíba



A pouco mais de um mês para o início do 17º Salão de Artesanato da Paraíba, mais de 20 profissionais entre arquitetos, decoradores, funcionários do Governo do Estado, parceiros e prestadores de serviço trabalham nos preparativos do evento, que será realizado de 20 de dezembro a 20 de janeiro de 2013, no Jangada Clube, Praia de Cabo Branco, em João Pessoa. A feira, que já entrou para o calendário cultural do Estado, tornou-se um importante espaço de exposição de trabalhos e negócios, aguardado por paraibanos e turistas que visitam a cidade no final do ano e durante todo verão.

O 17º Salão de Artesanato da Paraíba é uma promoção do Governo do Estado, por meio do Programa de Artesanato da Paraíba, vinculado à Secretaria de Estado do Turismo e do Desenvolvimento Econômico (Setde), sob a coordenação geral da primeira-dama do Estado, Pâmela Bório. O projeto arquitetônico será mais uma vez de Gustavo Vaz e Carolina Gomes, com a coordenação executiva de Ladjane Souza. O programa recebe ainda a parceria do Sebrae-PB, Banco do Brasil e Programa de Artesanato Brasileiro (PAB).

Para a coordenadora do Programa de Artesanato da Paraíba, Ladjane Barbosa, os visitantes poderão encontrar peças exclusivas a preços variados, aprender sobre a cultura paraibana e ainda colaborar para a geração de emprego e renda. “Além de muita qualidade, criatividade e diversidade, os produtos são todos feitos de forma manual, variando de preços como as peças de renascenças que podem durar meses para ficar prontas até aquelas lembrancinhas que custam pouco. Por outro lado, os visitantes ainda podem aprender sobre nossa cultura e levar os produtos, contribuindo para geração de renda”, explicou.

Em uma área de 3.200m², planejada e bem distribuída, cerca de 700 artesãos de 126 municípios paraibanos poderão expor seus trabalhos em cerâmica, madeira, tecelagens, fios, fibras, brinquedos populares e até gastronomia paraibana.

Destaque para o brinquedo popular – Nesta edição, o Salão dará destaque aos brinquedos feitos à mão, trazendo como tema “Imaginário Infantil”. 2013 será o ano da criança e este foi um dos motivos da escolha do tema. “A coordenadora geral, Pâmela Bório, foi quem decidiu o tema, pensando justamente na riqueza de brinquedos populares que temos, como fantoches, mamulengos, bonecos de panos e outros”, acrescentou Ladjane.

Novidades – Toda a entrada do evento será feita por paletes, que são madeiras de reaproveitamento utilizadas em indústrias, antes jogadas no lixo. Em 2011, a feira trouxe a Casa Conceito, onde móveis artesanais foram utilizados no conceito urbano. Neste ano, será construída uma casinha de boneca destinada às crianças. “O objetivo é que as crianças interajam com o brinquedo popular e a nossa cultura do universo infantil do passado, longe de produtos de plásticos industrializados”, esclareceu.

Será montada uma praça de alimentação voltada para a gastronomia paraibana, onde será possível degustar as comidas típicas, a exemplo de biscoitos caseiros, pamonha, canjica, milho, rapadura, etc. Bem ao lado da praça será montado um palco para apresentações culturais, principalmente nos finais de semana.

Outras novidades é o Museu dos Brinquedos, do artesão e colecionador Aroldo William, e uma árvore de Natal interativa no final do corredor de exposição, onde o visitante poderá deixar sua mensagem e opinião sobre o Salão.

Produção – Desde o mês de setembro que a coordenação do evento tem entrado em contato com todos os artesãos para que enviem seus produtos que ficarão na vitrine, bem como aqueles que ficarão no estoque dentro do prazo pré-estabelecido. A hospedagem dos artistas também está sendo providenciada nas dependências do Ronaldão, que vai se transformar em um grande dormitório com todos os serviços essenciais de infraestrutura e transporte para aqueles artesãos que veem do interior do Estado e não possuem família na Capital.

Negócios – Para Ladjane Barbosa, a expectativa é que as vendas aumentem 20% nesta edição. “No ano passado, foram movimentados mais de um milhão de reais durante a feira, mas os artesãos saem daqui com várias encomendas para fazer devido à visibilidade que ganham no evento. Por esse motivo, não podemos contabilizar esses valores. Este ano, por exemplo, já temos artesãos que não vão participar porque estão com muita produção para entregar. O Governo é um facilitador e incentiva o produtor a viver diretamente da sua arte”, destacou.

Funcionamento – O salão vai funcionar diariamente das 15h às 22h, até o dia 22 de janeiro. As exceções são para os dias 24, 25 e 31 dezembro, bem como para o dia 1º de janeiro, quando o evento será fechado para as festas de final de ano. A visitação será gratuita.