Fale Conosco

3 de setembro de 2009

Começa sexta-feira a 7ª Festa da Mandioca em Princesa Isabel



Um público de cerca 10 mil pessoas deve participar da 7ª edição da Festa da Mandioca da comunidade de Lagoa de São João, município de Princesa Isabel, que começa nesta sexta-feira (4) e vai até domingo (6). O objetivo é estimular o cultivo da mandioca e da macaxeira na região, principalmente pela viabilidade econômica e a importância que oferecem para alimentação humana e animal.

A promoção é do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), da Associação Comunitária dos Pequenos Produtores de Lagoa de São João, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB), que criou o evento em 2002 por iniciativa da extensionista social Tereza Cristina, à época coordenadora regional da extensão rural em Princesa Isabel.

A expectativa dos órgãos parceiros, como Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Micro Empresa (Sebrae), Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Prefeitura local é de que o evento repita o sucesso das versões anteriores com a exposição e vendas de produtos derivados da mandioca e macaxeira, tais como: farinha, goma, massa puba, beijus, dentre outros, produzidos e comercializados no próprio município e circunvizinhos da Paraíba e de outros Estados.

Maior produtor

De acordo com o coordenador Regional da Emater em Princesa Isabel, Francisco Evaristo Diniz, o município é um dos maiores produtores de mandioca da Serra do Teixeira, tendo na cultura a sua maior fonte geradora de emprego e renda. Ele disse acreditar no sucesso da festa que vem crescendo a cada ano com a presença maciça de agricultores familiares, da sociedade paraibana e de participantes de estados vizinhos, como o Rio Grande do Norte e Pernambuco.

O cultivo da mandioca promove a melhoria da renda, e, consequentemente, a qualidade de vida dos produtores rurais das comunidades Lagoa de São João, Macambira, Moça Branca, Cedro e Lagoa da Cruz, região administrativa de Princesa Isabel. Essas localidades abrigam uma população de 325 famílias que produzem cerca de 1.450 toneladas de raízes e fabricam 8.650 sacas de farinha de 50 quilos cada.

A mandioca, que já foi considerada cultura de pobre e se destinava quase que exclusivamente à produção de farinha comum de mesa, hoje, superada a sua fase de declínio, é cultivada em mais de 120 países por mini e grandes produtores, representando grande expressão econômica, em virtude das vantagens que oferece em termos de renda e alternativa alimentar para humanos e animais.

Programação

Com abertura prevista para as 17h30 da sexta-feira (4), constam da programação uma missa em Ação de Graça, exposição e venda de produtos derivados da mandioca e da macaxeira, apresentação folclórica, shows musicais, gincana cultural, quadrangular de futebol, cursos de culinária, além de concurso da rainha e da princesa da mandioca.

O encerramento ocorrerá às 17h do domingo (6) com a entrega de troféus pelas autoridades presentes, representantes de órgãos parceiros da extensão rural no Estado. Ao longo do dia acontecerão outros eventos como partidas de futebol, maratona esportiva, gincanas, concurso de culinária (escolha do maior beiju) e muito forró pé de serra.

Lourdinha Araújo, Assessoria de Imprensa da Emater-PB