Fale Conosco

8 de julho de 2012

Começa em João Pessoa o 306º Novenário de Nossa Senhora do Carmo



ricardo na novena do carmo foto vanivaldo ferreira secom pb (20)Uma das mais tradicionais programações litúrgicas da Paraíba, o Novenário de Nossa Senhora do Carmo, realizado em João Pessoa, chega à 306ª edição neste ano com o tema “Inspirados nos profetas Elias e Elizeu, e com a Virgem do Carmo, formamos o Carmelo a serviço da Igreja do Senhor”.

Em 2012, a primeira celebração do novenário, realizada na Igreja do Carmo, na sexta-feira (6), foi dedicada ao Poder Executivo Estadual. O governador Ricardo Coutinho, acompanhado da primeira-dama Pâmela Bório e de secretário de Estado participaram do evento, assim como representantes da Assembleia Legislativa, da Câmara de Vereadores de João Pessoa e do Tribunal de Justiça.

A celebração foi ministrada pelo sacerdote Luíz Nunes. O novenário é organizado pela Ordem Terceira do Carmo de João Pessoa, vinculada à Província Carmelitana Pernambucana e à Arquidiocese da Paraíba. A programação festiva se estende até o dia 16 deste mês com realização diária de missa às 16h e da novena às 19h, na Igreja Nossa Senhora do Carmo, na Praça Dom Adauto, no Centro Histórico.

A missa do dia 16 – que acontecerá, excepcionalmente, às 9h – será celebrada pelo arcebispo metropolitano do Estado, dom Aldo Pagotto, e transmitida ao vivo pela Rádio Tabajara.

Os carmelitas – Essa ordem religiosa chegou ao Estado provavelmente no ano 1591, junto com os beneditinos, franciscanos e jesuítas, com o objetivo de evangelizar e catequizar os índios. No ano 1600, os carmelitas começaram a construção de uma moradia própria na Paraíba. A conclusão da obra foi demorada, incluindo o Convento do Carmo, a igreja da Ordem Primeira do Carmo, a capela de Santa Tereza e a casa dos exercícios dos Irmãos Terceiros.

O conjunto carmelitano só ficou pronto em 1763 quando, de acordo com os registros históricos, Frei Manoel de Santa Tereza encerrou as obras usando recursos próprios. Em 1906, o primeiro bispo da Paraíba, Dom Adaucto, transformou o Convento do Carmo no prédio que hoje é conhecido como Palácio do Bispo. Em 1965, o Palácio foi transformado na sede da Arquidiocese da Paraíba, funcionando, até hoje, como Cúria Metropolitana.

A origem – Diz a História que o profeta Elias teria visto a Virgem Maria dirigindo-se ao Monte Carmelo (em Hebraico, “carmo” significa vinha; e “elo” significa senhor; portanto “carmelo” quer dizer “vinha do Senhor”), na Palestina, em forma de uma nuvem que saía da terra. Os monges, no ano 93 da era cristã, construíram no Monte uma capela em homenagem à Virgem. Quando foram expulsos pelos sarracenos no século XIII, os monges espalharam-se pelo Ocidente e fundaram vários mosteiros, divulgando a devoção a Nossa Senhora do Carmo.

Uma visão do frade carmelita Simão Stock, superior da Ordem, no dia 16 de julho, mostrava a Virgem Maria cercada de anjos, segurando nas mãos um escapulário da Ordem e afirmando: “Eis o privilégio que dou a ti e a todos os filhos do Carmelo: todo o que for revestido deste hábito será salvo”. Vem daí a devoção do escapulário de Nossa Senhora do Carmo. O Papa Pio XII recomendou essa devoção, que entende o escapulário como uma veste mariana, símbolo da proteção da Mãe de Deus.