João Pessoa
Feed de Notícias

Começa a 1ª Conferência Estadual de Saúde Ambiental em JP

quinta-feira, 22 de outubro de 2009 - 15:22 - Fotos: 

O Governo do Estado abriu, na manhã desta quinta-feira (22), a 1ª Conferência Estadual de Saúde Ambiental, no Hotel Ouro Branco, em João Pessoa. O evento está discutindo os efeitos dos problemas ambientais na saúde das pessoas. Segundo estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), 18% das doenças e das mortes prematuras no Brasil ocorrem por conta de fatores de risco ambiental que são modificáveis. Nesta sexta-feira (23), serão escolhidos os 29 delegados que representarão a Paraíba na 1ª Conferência Nacional de Saúde Ambiental, que acontecerá de 9 a 12 de dezembro em Brasília (DF).

O vice-governador do Estado, Luciano Cartaxo, destacou a importância da ‘interface’ entre as diversas áreas do governo para resolver as questões de saúde ambiental, bem como a participação da população nas discussões. “Essa conferência é um avanço para a sociedade brasileira, que já amadureceu bastante e está preparada para encarar desafios. O nosso governo está antenado e sintonizado com todas as ações que o Governo Federal tem feito e tem priorizado e valorizado a participação das pessoas”, disse.

Esforço – O secretário José Maria de França destacou o esforço da Secretaria de Estado da Saúde (SES) na realização da conferência e disse que a Paraíba está fazendo a sua parte. “Quero registrar nosso orgulho e felicidade em chegar até aqui, nessa 1ª Conferência Estadual de Saúde Ambiental, depois de fazermos um grande esforço desde a realização das conferências macrorregionais. A conferência nacional, em Brasília, será um marco para a saúde ambiental deste País e o nosso Estado está colaborando para que o Brasil possa ter uma saúde ambiental melhor, a cada dia”, afirmou.

Integração – O secretário de Infraestrutura do Estado, Leonardo Gadelha, disse que o modelo de interação entre os governos e a sociedade, utilizado pelo Governo Lula, é defendida pelo governador José Maranhão.

“Promover encontros como esse, é promover a diversidade de idéias. O governador José Maranhão determinou que, aqui na Paraíba, seja levada em conta essa interdisciplinaridade. Queremos interagir com a população, para que possamos, ao longo dos próximos anos, colocar a Paraíba no patamar dos estados mais desenvolvidos”, disse.

Danos à saúde – Segundo estimativa da OMS, pelo menos 24% de todas as doenças e 23% das mortes prematuras, em todo o mundo, ocorrem em razão de fatores de risco ambiental que são modificáveis. “No Brasil, 18% dos problemas de saúde evitáveis estão relacionados ao meio ambiente. Além disso, o nosso País está em primeiro lugar no consumo mundial de agrotóxicos, o que deverá aumentar os casos de câncer”, afirmou Daniela Buosi, representante do Ministério da Saúde.

Daniela Buosi, que também é membro da comissão organizadora da conferência nacional, lembrou que por ano são registrados no País, 2 milhões de casos de diarréia infantil, uma doença considerada de veiculação hídrica, ligada à poluição das águas.

Eleição de delegados – Neste primeiro dia, foi discutido o tema ‘A Saúde Ambiental na cidade, no campo e na floresta: construindo cidadania, qualidade de vida e territórios sustentáveis’, com Ivan Targino Moreira, Lia Augusto e Eduardo Sobrinho. Nesta sexta-feira (23), acontecem a plenária final e a eleição dos delegados. Antes da estadual, foram realizadas quatro conferências macrorregionais e uma intermunicipal.

Participaram também da mesa de abertura dos trabalhos, o secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Eduardo Jorge Sobrinho, e o coordenador da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) na Paraíba, Álvaro Gaudêncio.

 

Da Assessoria de Imprensa da SES-Pb