Fale Conosco

4 de dezembro de 2012

Com boa logística e baixo custo, Porto atrai desembarque de pás eólicas



A localização estratégica, o custo operacional e a capacidade logística atrairam para o Porto de Cabedelo um novo cliente que transporta grandes peças: pás eólicas, que medem 42 metros de comprimento e custam cerca de R$ 200 mil, cada uma.

A primeira carga – com 45 pás trazidas em navio que as embarcou no Porto de Houston, nos Estados Unidos – começou a ser descarregada na segunda-feira (3), trabalho que deve ser concluído nesta quarta-feira. Depois, as peças seguirão em caminhões até o Rio Grande do Norte. Outros dois navios estão programados para atracarem em Cabedelo.

Esse tipo de carga chegava pelos portos de Suape (PE) e Pecem (CE) e agora a Companhia Docas da Paraíba conquistou o novo cliente, segundo o presidente da Companhia Docas da Paraíba, Wilbur Jácome. A carga do primeiro navio está avaliada em R$ 9 milhões.

A carga de pás eólicas deixou de ser desembarcada em Pecem pela incidência de fortes ventos e em Suape por falta de espaço.

Maior acesso – A Companhia Docas fez estudos logísticos que foram aprovados pela empresa que está importando as pás eólicas. Um outro ponto levado em consideração foi a ampliação da capacidade de fluxo de caminhões no portão de entrada do porto que antes era de apenas dois (mão e contramão) e agora simultaneamente podem passar na entrada do porto oito caminhões.

Wilbur Jácome informou que a operação de descarga das pás eólicas envolve carretas, guindastes, empilhadeiras e cerca de 70 pessoas. “Estamos felizes e confiantes, e vamos fazer de tudo para manter esse cliente, esse é o objetivo e isto demonstra que o Porto de Cabedelo é viável”,  declarou o presidente da Companhia Docas. No porto hoje existem operadoras capazes de realizar uma operação dessa monta.

Milho – O Porto de Cabedelo também fechou negócio com mais um cliente importante, a Companhia Nacional de Abastecimento, que vai receber 60 mil toneladas de milho para os Estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Serão três cargas de 20 mil toneladas, a serem distribuídas em 15 pontos da Conab nos dois Estados.

“O elo de ligação logística vai ser o Porto de Cabedelo. Essa é uma grande vitória também, mostra mais uma vez  que nós temos viabilidade”, destacou Wilbur.

Crescimento – A Companhia Docas da Paraíba vem acumulando resultados positivos desde o início deste ano e no mês de agosto passado se tornou superavitária pela primeira vez desde dezembro de 1998, quando a companhia foi criada.

Neste mês de dezembro a perspectiva da Companhia Docas da Paraíba é de movimentar  mais 177.850 toneladas, o que deve superar o mês de dezembro de 2011 em 77 mil toneladas.

“Esse percentual nos dá a perspectiva de encerrarmos o ano acima da nossa meta, que era um crescimento de 10%. Se tudo der certo a gente deve chegar a 20% de crescimento”, avalia Wilbur Jácome. Só em dezembro de 2011, a movimentação do porto foi de 100.574 toneladas. Em todo o ano passado o porto movimentou 1,654 milhão de toneladas, e este ano até agora o volume de cargas é de 1,760 milhão de toneladas.

Rodovias – Wilbur Jácome acrescentou  que o Governo do Estado tem feito uma revolução logística ao investir em pavimentação de rodovias. “Um dos grandes desafios de uma área portuária  é o acesso rodoviário. Se você tem uma malha rodoviária que facilita o trânsito de cargas, você tem uma economia forte no Estado”, concluiu.