Fale Conosco

31 de outubro de 2017

Com assistência da Emater, ‘Brasil Sem Miséria’ muda vida de 341 famílias em Rio Tinto



Os projetos produtivos que beneficiam essas 341 famílias envolvem recursos de R$ 777,6 mil. Eles foram avaliados com a participação dos agricultores familiares e técnicos em evento realizado em Rio Tinto no dia 26 desse mês.

Foram analisados a metodologia de gestão e acompanhamento metodológico do Programa Brasil Sem Miséria na Zona da Mata Norte. A Prefeitura Municipal colaborou para sua realização que teve, ainda, o apoio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rio Tinto, por meio da sua presidente Valdirene Rosas.

Houve mostra de produtos da agricultura familiar e palestras. A extensionista social da Emater Maria Bethânia Torres falou sobre o tema “Empreendedorismo e visão de futuro”. A equipe local da Emater é composta de Ednete Freire, Eidy Simões, Lúcia Borges e Antonio Cavalcante, e os trabalhos são acompanhados pela coordenadora regional Keyla Leal.

O técnico Cristino Campello fez uma avaliação de todo o trabalho executado a partir da Chamada Território da Zona Norte (contrato nº 043/2012), que tem participação do extensionista Igor Machado. Nesse período as famílias tiveram oportunidade de acesso às políticas públicas e as ações fizeram com que Rio Tinto se tornasse uma referência dentro do Programa Brasil Sem Miséria.

O secretário da Agricultura do município, Antonio Macedo, destacou a parceria com a Emater, que segundo ele permitiu avanços no acesso e na implantação de ações que estão ajudando a mudar a qualidade de vida das pessoas. O cacique geral dos Potiguaras, Sandro, agradeceu a prefeitura municipal, a Emater e outros órgãos parceiros pela contribuição para o desenvolvimento econômico e social das famílias beneficiadas com o PBSM e de agricultores familiares de Rio Tinto.

Foi apresentada a experiência de sucesso do agricultor Manoel Antonio dos Santos que, com o assessoramento da Emater, comprou uma máquina de costurar e material para fabricação de roupas para que sua esposa também pudesse trabalhar e, com isso, melhorar a renda da família.

Quem também destacou o trabalho da Emater foi a agricultora Josenilda Delfino Cardoso. Ela expôs produtos do seu quintal produtivo, demonstrando a segurança alimentar e nutricional. Há quatro anos através do PBSM montou um pequeno aviário onde passou a criar galinhas e produzir ovos. Seu êxito ajudou na manutenção da família e, recentemente, contribuiu para a construção de uma casa para seu filho. “Hoje trabalhamos na fabricação de bolos, fazendo a entrega por encomenda à nossa clientela”, disse.

 

, por meio da sua presidente Valdirene Rosas.