Fale Conosco

19 de dezembro de 2014

Clementino Fraga realiza festa de natal para pacientes nesta segunda-feira



Dando continuidade ao trabalho de humanização, a direção do Complexo Hospitalar de  Doenças  Infecto-Contagiosas, Clementino  Fraga realiza na próxima segunda-feira (22) a festa de natal para os pacientes. O evento, marcado para as 19 h e coordenado pelo Núcleo de Cerimonial e Eventos, vai contar  a  apresentação do Coral da Igreja Batista do Castelo Branco; Sorteio de Brindes e o Jantar.

A Comemoração de Natal para Pacientes  e Acompanhantes do Hospital Clementino Fraga acontece pelo 4º ano consecutivo na gestão da diretora geral Adriana Teixeira. Na noite de desta quinta-feira (18) a festa foi destinada aos funcionários que participaram de sorteios de brindes e também foi oferecido um jantar

Ela explicou que a humanização da assistência a saúde, tanto para os pacientes, como para os profissionais que atuam na área tem ocupado um lugar de destaque nas atuais propostas de reconstrução das práticas de saúde no Brasil, no sentido de alcançar maior integralidade, efetividade, acesso e qualidade.

“A missão da humanização, considerando o ambiente hospitalar, num sentido mais amplo, além da melhora do tratamento intersubjetivo, podemos considerar que se trata de incentivar, por todos os meios possíveis, a união e colaboração interdisciplinar de todos os envolvidos, dos gestores, dos técnicos e dos funcionários, assim como a organização para a participação ativa e militante dos clientes (pacientes e familiares) nos processos de prevenção, cura e reabilitação”, explicou  a diretora.

Adriana Teixeira destacou que humanizar não é apenas “amenizar” a convivência hospitalar, senão uma grande ocasião para organizar-se na luta pela qualidade e da excelência do atendimento prestado. Ela explicou que na implementação do cuidado com ações humanizadoras é preciso valorizar a dimensão subjetiva e social em todas as práticas de atenção e gestão de instituições que oferecem serviços na área de saúde como os hospitais. “É importante fortalecer o trabalho em equipe multiprofissional, fomentar a construção de autonomia e participação dos sujeitos, fortalecer o controle social, democratizar as relações de trabalho e valorizar os profissionais de saúde”, destacou.

“Em resumo, para oferecer uma assistência à saúde de qualidade, respeitando todos os aspectos humanos envolvidos, priorizando a excelência e o bem estar biopsicosocial-espiritual de todos, é importante voltar à palavra de origem “humanização”: é tornar humano, é ver cada pessoa (paciente, enfermeiros, médicos, fisioterapeuta, nutricionista, farmacêutico, pessoal administrativo, técnicos e auxiliares de enfermagem, cozinheira, copeira, zeladora, etc.) como um ser único, complexo, cheio de qualidades e defeitos, mais acima de tudo seres humanos, capazes de sentir, de amar e de sofrer. E enxergar no outro independente de quem ele seja como um ser humano, digno de respeito e consideração, de compaixão e amor independente de suas características pessoais”, finalizou a diretora.