João Pessoa
Feed de Notícias

Classificação média é histórica e foi comunicada ao governador Maranhão pelo ministro da Agricultura

terça-feira, 24 de novembro de 2009 - 18:37 - Fotos: 

O Diário Oficial da União (DOU) publica, nesta quarta-feira (25), Instruções Normativas que consolidam a mudança de classificação sanitária para febre aftosa no Estado da Paraíba, passando de risco desconhecido para área de risco médio. Com a mudança histórica de classificação, pela primeira vez os 119 mil produtores paraibanos poderão vender seu rebanho para outros Estados, além de participar de feiras e transportar seus animais. Comunicado neste sentido foi feito pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, ao governador José Maranhão, na tarde desta terça-feira (24).

O ministro Stephanes destacou o avanço da Paraíba e demais Estados do Nordeste que, segundo ele, “caminham gradativamente para que o Brasil possa atingir a meta de ser considerado livre de febre aftosa em 2010”.

Avanço – O secretário estadual do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), Ruy Bezerra, falou da importância dessa mudança de classificação para todos os produtores e o grande avanço para o Estado. “Nenhum rebanho da Paraíba poderia sair sem antes passar por uma quarentena. Os produtores de outros Estados também não podiam participar de feiras agropecuárias na Paraíba, porque precisavam passar por quarentena antes de chegar aos seus rebanhos de origem”, explicou.

Para conseguir retirar o Estado da classificação de risco, a Sedap realizou um grande esforço nos últimos seis meses. “Conseguimos concluir o cadastramento dos produtores e a campanha de vacinação imunizou mais de 80% do rebanho de todo o Estado nas suas duas etapas, além de modernizar todas as unidades de atendimento aos produtores e adequar os seis postos de fronteiras da Paraíba. No total foram gastos R$ 2,5 milhões, recursos esses do Governo do Estado e do Ministério da Agricultura”, ressaltou.   

A segunda etapa da Campanha Contra Febre Aftosa ainda não computou os dados da região de Princesa Isabel, mas o levantamento parcial da Defesa Agropecuária registra que já foram vacinados 1.050.000 bovinos e bubalinos. Isso representa 89 % do rebanho do Estado que é de 1.244.266 animais. Na Paraíba existem hoje 1,25 milhão cabeças de gado.

A mudança de status sanitário foi autorizada pela Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), considerando os bons resultados de avaliações técnicas. As auditorias constataram melhorias na qualidade e na capacidade técnico-operacional dos serviços veterinários do Estado, quanto à execução do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA).

A doença – Causada por um vírus, a febre aftosa é altamente contagiosa e afeta o gado bovino, búfalos e outros animais que possuem cascos fendidos. A doença é confundida com outras enfermidades vesiculares e seu diagnóstico clínico sempre deve ser confirmado através de testes laboratoriais. O animal afetado precisa ser sacrificado para evitar o contágio de todo o rebanho. Na Paraíba, o último caso de registro de febre aftosa foi no ano de 2000.

Gledjane Maciel, da Secom-PB