Fale Conosco

26 de novembro de 2010

Ciclo de debates do I Salão do Livro encerra com escritores paraibanos



Os escritores paraibanos Hildeberto Barbosa Filho e Sérgio de Castro Pinto encerram o ciclo de debates do I Salão Internacional do Livro da Paraíba, neste sábado (27), às 19h, no Teatro de Arena do Espaço Cultural, em João Pessoa.
                 
No quadro ‘Café com Letras’, apresentado pelo poeta e jornalista, Linaldo Guedes, os escritores falarão sobre poesia e critica literária, realidade atual da literatura paraibana, detalhes da vida, carreira e do processo de criação de suas obras. Eles também vão responder perguntas do público presente.

Hildeberto Barbosa Filho

O escritor e crítico literário Hildeberto Barbosa Filho nasceu em 09 de outubro de 1954, na cidade de Aroeiras, Estado da Paraíba. Bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal da Paraíba; tem curso de Licenciatura em Letras Clássicas e Vernáculas (UFPB); Especialização em Direito Penal, pela USP e Mestrado em Literatura Brasileira, pela UFPB, com dissertação intitulada Sanhauá: poesia e modernidade.
                  
Logo cedo, iniciou sua vida de professor, lecionando Língua Portuguesa e Literatura Brasileira em colégios públicos e particulares. Ingressou no ensino superior, através de concurso público, sendo, atualmente, professor da Universidade Federal da Paraíba, lecionando Literatura Brasileira, Teoria da Literatura e Literatura Portuguesa, no curso de Letras, ministrando aulas, também, no curso de Comunicação Social, ao mesmo tempo, prepara-se para concluir o curso de doutorado em Literatura Paraibana.
                     
Além de professor universitário, Hildeberto é crítico literário, escritor, poeta e jornalista; mantém uma coluna em o Jornal O Norte, escrevendo sobre literatura. Colabora em os jornais A União, Correio da Paraíba, O Momento, Correio das Artes; Jornal do Comércio e Diário de Pernambuco (PE); O Galo (RN), O Pão (CE); D.O. Leitura (SP); Suplemento Literário de Minas Gerais (MG) e a Revista Cultura Vozes (RJ).
                         
Coordenou o Projeto LER e editou a revista Ler. Constantemente, é convidado para participar em simpósios, congresso e seminário como palestrante e conferencista. Assumiu a Cadeira nº 06 da APL, em 10 de setembro de 1999, recepcionado pelo acadêmico José Octávio de Arruda Mello.

Sérgio de Castro Pinto

O poeta, professor e jornalista Sérgio Castro Pinto nasceu em João Pessoa, na Paraíba, é formado em Direito e exerce a docência de Literatura Brasileira na Universidade Federal da Paraíba – UFPB.                         O seu doutoramento ocorreu abordando temática alusiva a Manuel Bandeira e Mário Quintana. E hoje ocupa a cadeira de número 39 na Academia Paraibana de Letras, cujo patrono é o escritor José Lins do Rego.
                       
Dentre suas obras estão: Gestos lúcidos, edições Sanhauá, 1967; A ilha na ostra, edições Sanhauá, 1970; Domicílio em trânsito, Civilização Brasileira, 1983; O cerco da memória, UFPB, 1993; A quatro mãos, 1996 (poesias, com ilustração de Flávio Tavares); Longe daqui, aqui mesmo (tese de doutorado – Mário Quintana); e Os paralelos insólitos, discurso de posse na APL.
                        
Como poeta já participou de antologias poéticas publicadas em Portugal e Espanha. Nos Estados Unidos teve trechos do poema “Camões/Lampião” traduzidos por Fred Ellison, professor emérito da Universidade do Texas, e incluídos na coletânea “Camões Feast”. No Brasil participou de várias antologias como “Os cem melhores poetas brasileiros do século” e “Sincretismo: a poesia da geração 60”.
                         
Sérgio de Castro Pinto também foi agraciado com prêmios em nível nacional e o mais recente deles foi o “Guilherme de Almeida”, promovido pela União Brasileira de Escritores, pela obra “Zôo imaginário”, considerada pela comissão julgadora o melhor livro de poesia do ano de 2005. A sua poesia é bastante elogiada e obteve sucesso de crítica e público.