João Pessoa
Feed de Notícias

Cerest-PB promove circuito de saúde, cultura e direitos dos trabalhadores no Espaço Cultural

quinta-feira, 28 de abril de 2016 - 16:59 - Fotos:  Ricardo Puppe

O Centro de Referência Estadual de Saúde do Trabalhador da Paraíba (Cerest-PB), da Secretaria de Estado da Saúde (SES), promoveu, nesta quinta-feira (28), o Circuito de Saúde, Cultura e Direitos dos Trabalhadores e Trabalhadoras, um evento alusivo ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Adoecimento no Trabalho. A ação começou às 8h no Espaço Cultural, na capital, oferecendo diversos serviços de saúde; emissão de documentos; cadastro em programa social; informações previdenciárias, trabalhistas, além atrações culturais.

“Durante este mês, chamado Abril Verde, nós trabalhamos a conscientização sobre a prevenção dos acidentes de trabalho. No evento de hoje, nós lembramos que ainda existe um alto índice de morte por acidente dentro processo de trabalho – a cada 15 segundos uma pessoa no mundo morre dentro de seu ambiente laboral. Trouxemos ao Espaço Cultural um Circuito que envolve saúde, cidadania e direito dos trabalhadores, uma ação intersetorial para levar, em um único lugar, vários serviços gratuitos à população”, explicou a diretora geral do Cerest-PB, Celeida Barros.

De acordo com Celeida, o processo de trabalho, hoje em dia, mata mais do que doenças como tuberculose e Aids. “É uma guerra silenciosa porque as pessoas acham que adoecer ou morrer enquanto se está trabalhando é normal. Isso é um engano! A grande maioria dos acidentes e das mortes podem ser evitadas e dentro do Sistema Único de Saúde (Sus) nós temos uma política de saúde do trabalhador que garante esses direitos a todos os trabalhadores, tenham eles carteira assinada ou não, qualquer forma de inserção no mercado de trabalho”, disse.

O público-alvo do Circuito envolveu trabalhadores em geral, mas, principalmente, catadores de lixo reciclável, motoboys, ambulantes e agricultores. “Estes grupos são mais vulneráveis aos acidentes e adoecimento no ambiente de trabalho. Muitos deles são trabalhadores autônomos e não têm carteira assinada, nem vínculo empregatício. Na maioria das vezes, por causa da correria diária, muitos não têm acesso aos serviços de saúde”, declarou a diretora geral.

A ação contou com a parceria da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano; Sine; Superintendência Regional de Trabalho e Emprego; Polícia Rodoviária Federal; ONG Andrae; INSS; Laboratório Central do Estado – Lacen; Hospital Clementino Fraga; Cruz Vermelha/Hospital de Emergência e Trauma; DataSUS; Detran; Faculdade Maurício de Nassau; Unipê; Sest/Senat; Hospital Arlinda Marques; representantes dos Sindicatos (motos, ambulantes, catadores e catadoras de materiais reciclados, jornalistas, bancários, empregada doméstica, construção civil, CUT, Fetag, comerciários e Sintel.

Foram ofertados, também, serviços como vacinação (dT – difteria e tétano, Hepatite B e tríplice viral); testagem rápida de HIV, de hepatites C e B; verificação de pressão arterial e glicemia; tipagem sanguínea; verificação de acuidade visual e auditiva; distribuição de kits de higiene bucal. O atendimento será realizado por médicos, enfermeiros e técnicos de segurança do trabalho.

Ainda no que diz respeito à saúde do trabalhador, o Circuito ofereceu ainda orientações sobre a saúde da mulher e amamentação; saúde mental; saúde do homem; saúde das pessoas com deficiência; população negra; alimentação saudável; transtornos mentais e de comportamento; postura, além de orientações para prevenção da dengue, zika e chikungunya. Entre os serviços de promoção da saúde do trabalhador, serão promovidas palestras e vivências sobre educação no trânsito, acidentes, população exposta a agrotóxicos; orientações sobre coleta seletiva, dentre outros.

“Trabalhamos nesta ação várias linhas de cuidado com a saúde para os trabalhadores, orientando, tirando dúvidas e indicando os serviços de referência do Estado. Muitos trabalhadores passam tempos sem se consultar com um profissional de saúde e uma ação como esta facilita o acesso e permite que sejam feitas vários exames, consultas e orientações em um só lugar”, comentou a técnica do Núcleo da Pessoa com Deficiência da SES, Wilbsan Cordeiro.

A equipe da Cruz Vermelha também estava presente. “É muito interessante esse contato porque a demanda é espontânea. São muitos trabalhadores que realmente estão preocupados com sua saúde. Alguns deles têm dificuldade em frequentar unidades de saúde no dia a dia e viram neste evento uma oportunidade de checar a pressão arterial, o índice de açúcar no sangue, além de receberem massagens terapêuticas, vacinas e orientações sobre os serviços de saúde”, disse a enfermeira da Cruz Vermelha Swyenn Pessoa.

Ficaram à disposição da população, ainda, profissionais orientando sobre o mercado de trabalho, repassando informações e orientações previdenciárias e trabalhistas; além de serviços de emissão de CPF, RG, cartão do SUS, carteira de trabalho, Cadastro Único e cadastro no Programa Pão e Leite e apresentação de teatro com a Companhia do Sorriso.

“Muita gente nos procurou durante evento. Em menos de uma hora já tínhamos recebido 70 trabalhadores para tirar a primeira via do CPF, e a primeira ou segunda via da identidade. Muitos trabalhadores não têm oportunidade de tirar estes documentos, por morarem distantes das Casas de Cidadania ou por falta de tempo, por exemplo. O Circuito facilitou o acesso, promovendo a cidadania que é um direito de todos”, informou o técnico do Programa Cidadão, Oziel de Oliveira.

Kelson Galdino dos Santos é catador de lixo reciclável há 36 anos e ficou muito feliz em participar das atividades. “Por sorte, nunca tive um acidente de trabalho, mas já presenciei vários colegas que se cortaram ou tiveram alguma infecção durante a coleta do lixo. O catador vê muito a necessidade de trabalhar para se sustentar e se esquece de coisas fundamentais como a saúde, os documentos básicos e até o lazer. Nesta ação, nos sentimos agraciados. Ainda existe muito preconceito com nossa profissão e neste Circuito, através do contato com excelentes profissionais, vemos que somos reconhecidos como cidadãos de verdade, como qualquer outro”, declarou.

Já a doméstica Paula Luzia da Conceição se contentou com as ações de saúde. “Aproveitei pra fazer vários exames de uma só vez. Há muito tempo não ia ao médico, nem media a pressão, nem cuidava da minha saúde. Hoje fui liberada do trabalho para cuidar de mim e estou muito feliz com isso”, disse.

Detran – O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PB) participou do Circuito de Saúde, Cultura e Direitos dos Trabalhadores por meio de um estande com diversos impressos e equipamentos que representam os meios de conscientização aos usuários do trânsito, inclusive minis vias de acesso com faixas de segurança, semáforos e outros itens. Coordenada pela Divisão de Educação de Trânsito, a parceria teve o objetivo de oferecer, de forma prática, noções básicas sobre o tema junto aos participantes.