João Pessoa
Feed de Notícias

Hospital Clementino Fraga ganha Centro de Referência de Imunodeficiência

sexta-feira, 21 de setembro de 2012 - 17:27 - Fotos:  Kleide Teixeira/Secom-PB

O Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa, inaugurou nesta sexta-feira (21) um novo serviço: o Centro de Referência de Imunodeficiência Primária, terceiro que passa a funcionar na região Nordeste. Segundo a diretora da unidade hospitalar, Adriana Teixeira, o novo serviço permitirá que os casos suspeitos da doença possam ser diagnosticados e receber o tratamento adequado sem ter que deixar o Estado.

“A imunodeficiência é difícil de ser diagnosticada e exige uma série de exames específicos que até então só eram realizados em São Paulo, assim como todo acompanhamento e tratamento do paciente. Por meio de convênio com o Hospital das Clínicas, o Instituto de Ciências Biológicas e a Unifesp, os pacientes paraibanos, até então eram encaminhados, por meio do programa federal “Tratamento Fora de Domicílio”, para confirmação do diagnóstico e tratamento da doença. A partir da inauguração do centro, pelo menos todo fluxo inicial, do diagnóstico, acompanhamento, dispensação e aplicação do medicamento serão realizadas aqui na Paraíba”, explicou Adriana Teixeira.

Imunodeficiências primárias -   São patologias comumente genéticas e hereditárias, que fazem com que o paciente não seja capaz de desenvolver resposta imunológica adequada as infecções, não possuindo defesa efetiva  contra certos grupos de bactérias, fungos ou vírus. O paciente poderá desenvolver infecções de repetição, por vezes graves e debilitantes, deixando sequelas para toda a vida, e, em certos casos, ser vitima de morte precoce.

As Imunodeficiências primárias são um grupo importante de doenças genéticas e hereditárias que acarretam maior susceptibilidade a infecções que podem ser crônicas, recorrentes, debilitantes e, em alguns casos, fatais.

Paciente – De acordo com Lindalva Lima, gerente de Imunodeficiência Primária e mãe de uma paciente diagnosticada com a patologia, o centro facilitará o encaminhamento de pacientes de todo estado sob suspeita da doença, permitindo a real avaliação do cenário na Paraíba. “A deficiência de imunidade é mais comum em crianças, mas pode se manifestar em adultos. O problema é que pela dificuldade de diagnóstico, muitas vezes o paciente vai a óbito sem saber, inclusive que a morte pode ter sido provocada pela incapacidade do paciente de produzir os anticorpos que necessita para combater infecções e outras doenças”, relatou.

A gerente enfatiza a importância dos profissionais de saúde serem sensibilizados por sinais de alerta como a ocorrência de infecções repetidas ou até mesmo uma infecção muito grave, que seja muito difícil de ser combatida. “É imprescindível essa atualização dos médicos, até porque o paciente diagnosticado imunodeficiente tem um custo muito menor para a saúde pública, visto que pode ser acompanhado e as possíveis infecções podem ser prevenidas. Isso faz com que o número de internações caia, assim como o número de intervenções de emergência”.

Lindalva aproveitou ainda para agradecer toda a assistência que sua filha vem recebendo do Governo do Estado. “Minha filha hoje está com 21 anos e foi diagnosticada com imunodeficiência aos seis anos. Ela vem recebendo toda a assistência necessária do Estado, junto ao Tratamento Fora de Domicílio (TFD). Eu posso dizer que se não fosse pelo Estado minha filha não estaria viva,” concluiu.

Além de diminuir o custo do paciente para a rede pública de saúde, a inauguração do Centro de Referência de Imunodeficiência Primária trará comodidade e um acompanhamento mais humanizado aos pacientes e seus familiares.

Investimentos – O vice-governador, Rômulo Gouvêa, enfatizou os investimentos na saúde em um ano e oito meses de Governo. “Na saúde estamos investindo bastante nessa gestão. Abrimos mais de 500 leitos, inauguramos hospitais em vários municípios, como por exemplo, em Taperoá e Sumé e firmamos convênios para manter o funcionamento de hospitais de pequeno porte. No hospital Clementino Fraga, fizemos investimentos físicos e de pessoal, buscando sempre a humanização do atendimento, o cuidado psicológico e social para que as pessoas não se sintam isoladas da sociedade”, afirmou.

O secretário da Saúde, Waldson Sousa parabenizou a direção do hospital pelo esforço e empenho em mais essa inauguração, e citou outras melhorias na saúde realizadas pelo Governo. “Nós temos pacientes que necessitavam desse tipo de atendimento, desse serviço. O Governo do Estado entendeu a necessidade da abertura desse centro, e está sempre buscando melhorias para a saúde na Paraíba, como por exemplo, a recente inauguração do Laboratório de Testagem de Ácidos Nucleicos (NAT), no Hemocentro da capital, que é um serviço pioneiro no país”, disse.

Dispensação de medicamentos – A dispensação de imunoglobulina é realizada na Paraíba pelo Centro Especializado de Dispensação de Medicamentos Excepcionais (Cedmex). A aplicação do medicamento, no caso dos pacientes com imunodeficiência, não acontece na Paraíba, porque até então não havia profissionais capacitados para este atendimento específico. A inauguração do Centro de Referência de Imunodeficiência Primária suprirá esta lacuna.