João Pessoa
Feed de Notícias

Centro de Ensino da PM é referência na formação de oficiais e praças

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014 - 10:18 - Fotos:  Secom-PB

Instituição é reconhecida como de ensino superior e tem alunos de todo o País

O Centro de Educação da Polícia Militar da Paraíba é referência no país quando o assunto é a formação de policiais e bombeiros. A unidade educacional, que também forma soldados, cabos e sargentos, recebe alunos do Curso de Formação de Oficiais (CFO) de diversos estados.

Fundndo há 57 anos, o primeiro espaço de ensino da Polícia Militar da Paraíba, foi inicialmente chamado de Centro de Instrução. Somente 20 anos depois, após a aprovação Lei Complementar 87, a unidade passaria a se chamar Centro de Educação da Polícia Militar da Paraíba.

De acordo com o diretor do Centro de Educação, coronel Daniel Sales, um dos principais objetivos da unidade educacional é formar e especializar os profissionais sob os aspectos técnicos e humanos. “Pregamos uma filosofia de polícia alicerçada no humanismo, na ilimitada defesa dos poderes constituídos, no zelo pela manutenção da ordem pública, na firmeza de personalidade, no uso da energia sem brutalidade moral, no desenvolvimento do auto-domínio, na constante atualização e na conservação disciplinar”, ressaltou o diretor.

O Centro de Educação é um dos poucos no Brasil a receber reconhecimento como instituição de ensino superior voltada para Segurança Pública. “Recebemos reconhecimento Estadual e Federal como instituição de ensino superior. Realizamos cursos de especialização para nossos policiais e integrantes de outras instituições do Estado, no entendimento de que só através do incremento educacional poderemos nos colocar como uma polícia voltada para os anseios da comunidade, sobretudo em uma época em que tudo é realizado com incrível velocidade”, destacou o coronel Daniel Sales.

Estrutura – O Centro conta com 22 salas de aulas, refeitórios, biblioteca, auditório com capacidade para 290 pessoas, além dos Núcleos de Aprimoramento Profissional e Coordenações de Educação a Distância.

O comandante geral da PM, coronel Euller Chaves, que já dirigiu o Centro de Educação, explica que os investimentos do Governo do Estado nas áreas de tecnologia, inteligência e logística credenciam o Centro como um dos melhores do país.

Já formamos mais de três mil militares. Temos duas pós-graduações latu sensu, constituindo-se na única Corporação Policial Militar que registra e certifica suas próprias especializações. Ainda temos as graduações e cursos de extensão, entre eles: Polícia Comunitária, Gerenciamento de Crise, Ações Táticas, entre outros cursos oferecidos para qualificação profissional. O Centro é considerado uma instituição de ensino modelo para todo o Brasil”, afirmou o comandante, acrescentando que a qualificação dos profissionais e estrutura do Centro foram fatores determinantes para que a Força Nacional escolhesse a Paraíba como unidade de treinamento para os militares.

Formação de oficiais – Ser um oficial da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros é um sonho de muitos jovens que tentam o Vestibular e Exame Nacional do Ensino Médio. O curso hoje se credencia como um dos mais concorridos entre os vestibulares do país.

Para ser um oficial o aluno tem que passar por um curso rígido, de quase quatro mil horas e em regime integral por três anos, com atividades que começam às 6h50 de segunda a sexta-feira.

Responsável pelo condicionamento necessário para uma vida de profundas mudanças, a Academia de Polícia Militar do Cabo Branco é o espaço de formação dos Oficiais da PM e Corpo de Bombeiros. Após o curso o formando passa, no mínimo, seis meses na condição de aspirante a oficial.

Ao longo da carreira militar ele se torna tenente, capitão, major, tenente-coronel e coronel, última patente. Os militares ficam na ativa por 30 anos. “Você aprende a se adaptar à vida militar, aos ensinamentos técnico-profissionais, aos princípios adquiridos. Aprende a respeitar superiores e subordinados”, ressaltou o capitão Marques Júnior, que desde criança cultivava a vontade de ingressar na área militar, graças a admiração que sempre sentiu pelo avó major do Exército Brasileiro.

Jefferson Pereira, 42 anos, foi o primeiro coronel a ser formado na Paraíba. Hoje, 20 anos depois, está à frente do Comando de Polícia da Região Metropolitana e é responsável por um efetivo de mais 3 mil policiais. O comandante ressalta a importância das lições, que foram fundamentais ao longo da carreira militar. “Foi na academia que tive os primeiros passos de uma carreira pautada e alicerçada na ética do bom policial militar. Tenho orgulho de ter passado por lá”, destacou o coronel.

Filho de coronel e hoje na função de tenente coronel, Arnaldo Sobrinho, 39 anos, atualmente exerce o cargo de gerente executivo do Sistema Penitenciário. “Tudo o que sou hoje eu reputo à formação que tivemos no CFO. A formação foi necessária para essa mudança de ideologia que temos procurado implementar”, ressaltou o oficial, que hoje é doutorando, especialista em crimes cibernéticos e já proferiu palestras sobre o tema na Tailândia e Índia.

Pioneira no comando – Primeira mulher a comandar um Batalhão do Corpo de Bombeiros, a tenente-coronel BM Jousilene Tavares, 35 anos, diz ter no DNA a vocação para a profissão que escolheu: é neta, filha, sobrinha, irmã, prima e esposa de militar. Atualmente, é responsável pelo 2º Batalhão Bombeiro Militar, com sede em Campina Grande. “Os ensinamentos que recebemos na Academia perduram em nossa vida profissional a exemplo da disciplina, da humanização, do conviver na coletividade. Nos orgulha salvar vidas”, afirmou a comandante.

Natural de Guarabira, o tenente-coronel Souza Neto, 40 anos, também foi aluno na Academia de Polícia Militar do Cabo Branco. Hoje, comandante do 2° Batalhão da cidade Campina Grande, o oficial, que também é filho de militar, afirma que a base recebida na academia foi fundamental para o exercício à frente dos batalhões que comandou. “O que o curso nos ensina é realmente a base de uma carreira pautada na ética e na disciplina”, afirmou o coronel.

Disputada nos concursos e vestibulares, a área militar atrai pelos cargos e salários, mas é bom lembrar que quem decidir seguir carreira tem que ter em mente que preparo físico, intelectual, obedecer hierarquias e ter disciplina são pilares da rotina do policial e bombeiro seja ele praça ou oficial.