Fale Conosco

13 de maio de 2009

Centro Acadêmico de Serviço Social comemora dia do assistente social



Acontece até sexta-feira (15), no prédio do Departamento de Serviço Social da Universidade Estadual da Paraíba, o 2º Fórum Acadêmico de Serviço Social, promovido pelo Centro Acadêmico. Um dos objetivos do evento é  comemorar o Dia do Assistente Social, celebrado no dia 15 de maio.

Um dos destaques do Fórum será o debate que acontecerá na quinta-feira (14) às 8h, com o tema “A crise econômica e a sua repercussão na vida dos catadores e catadoras de materiais reciclados: alternativas e soluções”. Presentes para o debate estarão José Cardoso/Movimento Nacional de Catadores; Bertrand Sampaio Alencar/UFPE/Aspan – Associação Pernambucana de Defesa da Natureza; um representante do Núcleo de Educação Ambiental da UEPB – CICLO'S, e mais dois representantes de cooperativas de catadores da cidade: Catamais e Contramare.

O valor da inscrição consistiu na doação de garrafas pet que serão distribuídas para a cooperativa de catadores Catamais. Essa iniciativa contribuirá para incentivar a reciclagem de materiais, coleta seletiva e criar uma consciência ecológica, um dos objetivos e eixos do Fórum.

A sexta-feira (15) ficará reservada para oficinas, ministradas pela manhã e noite. Uma das oficinas, Gênero e Serviço Social, será ministrada pela assistente social da UEPB, Albertina Félix, que abordará a violência contra a mulher e as mudanças trazidas pela Lei Maria da Penha.

Dia do Assistente Social – Em 15 de maio de 1891, o Papa Leão XIII publicava a Encíclica Rerum Novarum, apresentando ao mundo católico os fundamentos e as diretrizes da Doutrina Social da Igreja. Era a primeira Encíclica Social já escrita por um Papa e arcava o posicionamento da Igreja frente aos graves problemas sociais que dominavam as sociedades européias.

Para os assistentes sociais europeus, a Encíclica publicada naquele dia 15 de maio, trazia um conteúdo muito especial. Atônitos frente à complexidade dos problemas existentes e teoricamente fragilizados em conseqüência de sua formação ainda bastante precária, aqueles profissionais assumiram o documento e os ensinamentos ali contidos como base fundamental de seu trabalho.

No Brasil, o Serviço Social foi criado em 1936, a partir das iniciativas dos grandes líderes da Igreja Católica no país, inspirados na Doutrina Social da Igreja então enriquecida por uma nova Encíclica Social: a “Quadragésimo Ano”, redigida pelo Papa Pio XI e publicada no dia 15 de maio de 1931 em comemoração aos quarenta anos da Rerum Novarum.

Após 70 anos de existência e 50 anos de regulamentação no Brasil, o Serviço Social identifica-se como a profissão cujos profissionais combatem, por ofício e por decisão ético-política, todas as formas de violação de direitos, discriminação e subalternidade. Os assistentes sociais executam suas atribuições com um ensejo claro: uma sociedade justa, formada por homens e mulheres completos, construída como manifestação não só de resistência às formas de violência, de ataque à dignidade humana, mas de consolidação de direitos sociais.