Fale Conosco

14 de março de 2014

Central de Interpretação de Libras atende mais de 250 pessoas na Funad



Mais de 250 pessoas já foram atendidas na Central de Interpretação de Libras (CIL), uma ação da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com apoio do Governo da Paraíba, que foi inaugurada na Paraíba em agosto do ano passado. O objetivo é garantir o atendimento de qualidade às pessoas com deficiência auditiva, por meio de serviços de tradução e interpretação, facilitando o acesso aos serviços públicos e ampliando a comunicação e interação entre ouvintes e surdos nas áreas da justiça, saúde e educação, a exemplo de bibliotecas, delegacias, hospitais, tribunais e outros locais de atendimento ao público.

A CIL funciona na Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad), no bairro Pedro Gondim, em João Pessoa, de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 18h. O serviço pode ser solicitado pelo telefone 3244.2920 ou através do endereço cilpb@funad.pb.gov.br. Nos finais de semana e feriados, casos de urgência podem ser atendidos pelo telefone 8802.3955. O atendimento é gratuito e qualquer pessoa pode solicitá-lo, desde que seja agendado previamente, exceto nos casos de urgência. O agendamento deve ser feito na Coordenação de Atendimento à Pessoa com Deficiência Auditiva (Codapa), que funciona na Funad.

Uma das pessoas atendidas na Central de Interpretação de Libras foi o surdo Hamilton Júnior, que lembra, emocionado, das vezes que se sentiu excluído. “Eu era uma pessoa isolada e, em diversas situações, não consegui ser atendido. Agora me sinto de fato respeitado, com acesso à serviços e com a dignidade garantida. A presença do intérprete me abriu portas e um novo caminho, onde não me sinto mais só”, disse ele.

Para a intérprete Huynara Barbosa, estar ao lado das pessoas surdas, ajudando a resolver seus problemas, é uma chance de participar do processo de inclusão, que elas tanto precisam. “Me sinto feliz e privilegiada por contribuir com este processo”.

A presidente da Funad, Simone Jordão, destacou que a Central é, sobretudo, uma quebra de barreiras, que possibilita a acessibilidade da pessoa com deficiência auditiva a todos os serviços. “O Governo do Estado tem priorizado a política de apoio à pessoa com deficiência e, com esta adesão, assume o compromisso de fazer com que os direitos sejam efetivamente respeitados, de modo que, toda a estrutura necessária é por conta da Funad, que está à frente da Central na Paraíba, quando muitos Estados não aderiram ao programa”.