João Pessoa
Feed de Notícias

Cendac inaugura Espaço que vai beneficiar 80 idosos, em João Pessoa

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009 - 20:27 - Fotos: 

“A vida não acaba com a chegada da velhice. O idoso é completamente capaz de se desenvolver intelectualmente e profissionalmente. E oferecer condições para isso é um compromisso deste governo”. Foi com essas palavras que a primeira-dama do Estado e desembargadora de Justiça, Maria de Fátima Bezerra Cavalcanti, inaugurou na noite desta sexta (4) o Espaço dos Idosos que recebeu o nome dela.

O serviço, que vai funcionar no Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente (Cendac), em João Pessoa, deve beneficiar cerca de 80 idosos a partir de janeiro de 2010. O local foi criado com o objetivo de prestar assistência psicológica e social às pessoas com mais de 65 anos.

Numa área totalmente reformada e adaptada, os usuários serão beneficiados com o trabalho de uma equipe multidisciplinar e contemplados com aulas sobre artesanato, bijuterias, massagens terapêuticas, atendimento ambulatorial, psicológico, nutricional e assistência social. Todos os trabalhos serão oferecidos gratuitamente e o serviço faz parte das atividades do Programa de Assistência ao Idoso, mantido pela Cendac.

Cuidado – A primeira-dama do Estado destacou que o cuidado com idoso está entre as prioridades do governador José Maranhão. “Quero agradecer o trabalho intelectual da equipe responsável por este serviço, principalmente à minha irmã, Tereza Alice Cavalcanti, que deixou sua vida empresarial para abraçar essa causa. O lema deste governo é trabalho, trabalho e fico feliz em ver que há um compromisso coletivo em alcançar o progresso em nosso Estado, especialmente, com a causa do idoso”, declarou.

De acordo com a coordenadora do programa, Teresa Cariri, o Espaço dos Idosos recebeu o nome de Maria de Fátima Bezerra Cavalcanti porque foi ela quem solicitou a criação do serviço. “O Cendac existe há 30 anos e sua presidência sempre é ocupada pela primeira-dama do Estado. Mas Fátima Bezerra não ocupou o cargo por ser uma magistrada. Ela indicou a irmã, Tereza Alice Cavalcanti. E pediu que ela tivesse uma atenção especial com a causa do idoso”, explica a coordenadora.  

Assistência – Apesar do Cendac  ser uma organização não governamental especializada em prestar assistência a crianças, a jovens e a adultos, a atual gestão decidiu também criar políticas para os maiores de 65 anos. “Há cerca de dois meses, a assistência ao idoso começou a ser oferecida no Cendac, mas num local sem as condições adequadas. Não havia conforto, nem espaço suficiente para atender uma grande demanda de pessoas”, conta a coordenadora.

“Mas o Cendac reformou um ambiente, adquiriu novos equipamentos, fez ampliação. E criou um local confortável e aconchegante para acolher os usuários. Devido a isso, iremos ampliar a quantidade beneficiados pelos atendimentos”, acrescenta.

Inclusão digital – Além de ampliar o número de usuários, o Cendac pretende realizar a inclusão digital dos idosos. Nas instalações do Centro já existe um laboratório de informática com 30 computadores, que vem sendo usado na educação de jovens e adultos. A intenção dos coordenadores do Espaço dos Idosos é que ele seja utilizado também na qualificação das pessoas da terceira idade. “Pretendemos começar isso já a partir de janeiro. Os idosos interessados só precisam vir aqui e se inscrever”, informa a presidente do Cendac, Tereza Alice Cavalcanti.

Em breve discurso, ela afirmou que quando assumiu o cargo, há oito meses, encontrou  o Cendac oferecendo apenas curso de artesanato a uns poucos alunos. “Nesse pouco tempo de gestão, conseguimos oferecer novamente diversos cursos, como de serigrafia, marcenaria, corte e costura aos jovens. Também prestamos assistência a gestantes e a idosos”, declarou.

Com os índios – Tereza também apresentou uma iniciativa inédita que tomou à frente do Cendac. “Conheci o trabalho dos índios Quilombolas, da Baía da Traição. Eles fazem artesanato com barro e bijuterias. Com apoio do Governo do Estado, estamos fornecendo fornos e treinamento para melhorar essa arte”, contou.

A aposentada Daura Silva Farias, 74 anos, está entre as beneficiadas pelo serviço. Ela já frequenta o curso de bijuterias e conta que melhorou a qualidade de vida com as aulas. “Quando comecei a fazer o curso, estava com depressão. Hoje, tenho amigos e não tenho mais tristeza. Minha vida é só alegria”, conta.

Nathielle Ferreira, com fotos de João Francisco, da Secom-PB