Fale Conosco

21 de janeiro de 2013

CDRM vai perfurar poços em municípios do Sertão



O Governo do Estado mantém o ritmo de perfuração de poços artesianos em municípios paraibanos. A ação pretende amenizar os efeitos da estiagem. Em 2012, as equipes da Companhia de Desenvolvimento dos Recursos Minerais (CDRM) perfuraram 196 poços. Neste mês de janeiro, já foram perfurados mais oito na cidade de Belém, três em Tacima, quatro em Logradouro e outros quatro em Caiçara, municípios do Brejo. Na cidade de Bananeiras serão perfurados dois poços.

No município de Salgadinho, foram perfurados cinco poços. A partir desta semana, as equipes e perfuratrizes da CDRM seguirão perfurando poços artesianos em diversos municípios: Desterro, Santa Terezinha, Ibiara, Itaporanga, Maturéia, Paulista, Pombal, São Bentinho, entre outras cidades do Sertão.

O presidente da CDRM, Marcelo Falcão, informa que os técnicos da companhia trabalham com dois conjuntos de perfuratrizes. Três novas perfuratrizes serão adquiridas. Com esse reforço, a perfuração de poços ganhará celeridade. Parcerias com as prefeituras também têm ajudado na instalação dos equipamentos necessários ao funcionamento dos poços.

Boa parte das demandas surge de projetos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep) e do Orçamento Democrático Estadual. A perfuração de poços em Belém, Caiçara e Logradouro também foram motivadas pelo colapso no manancial de Lagoa do Matias, que abastece os municípios. O presidente Marcelo Falcão assegurou que a prioridade do Governo do Estado é a perfuração de poços artesianos para atender emergencialmente os moradores que sofrem com o desabastecimento.

O programa de perfuração e instalação de poços na Paraíba vai ser ampliado com a aquisição das três novas perfuratrizes. A Companhia de Desenvolvimento dos Recursos Minerais (CDRM) terá condições de perfurar cerca de 150 poços tubulares por mês e de instalar 50. O desafio mais urgente é acelerar as instalações que dependem também da contratação de equipes e compra de material.

Os novos equipamentos serão adquiridos com recursos do Ministério da Integração Nacional e do Governo do Estado, a partir da assinatura de um termo de compromisso entre os dois governos.