João Pessoa
Feed de Notícias

Casa do Estudante completa 75 anos e revela história de líderes políticos

sábado, 28 de abril de 2012 - 11:42 - Fotos:  João Francisco/Secom-PB

Um espaço que ajuda a entender a formação das lideranças paraibanas do século XX. De ex-governadores, poetas, políticos, artistas ao atual secretário de Estado da Cultura, Chico César, muitas personalidades passaram pela Fundação Casa do Estudante da Paraíba (Funecap), que comemorou 75 anos de existência no dia 12 de março. A Fundação foi criada e entregue à comunidade estudantil do interior paraibano no Governo Argemiro de Figueiredo, em 1937, e destina-se, prioritariamente, a abrigar estudantes em cujos municípios não haja o ensino técnico-profissionalizante.

A Casa está situada à Rua da Areia, 567, no Centro de João Pessoa, tendo como gestores Othon Gama (diretor-presidente) e Priscilla Gomes (diretora técnica). Em março, a instituição promoveu atividades artísticas, culturais e esportivas, entre elas um ciclo de palestras, debates e conferências sobre questões da atualidade no contexto do processo educacional, do meio ambiente e das políticas públicas voltadas à comunidade universitária.

Abrigar estudantes universitários é uma das funções da Fundação, que pretende ampliar o número de moradores e realizar reformas físicas e estruturais. A Casa do Estudante tem capacidade para abrigar 96 estudantes, no entanto, por causa dos trabalhos de reforma foram abertas apenas 50 vagas este ano.

O prédio tem quatro blocos com 12 apartamentos, abrigando dois estudantes em cada um. Segundo Othon Gama, a partir do ano que vem, a Casa abrirá espaço para estudantes universitários carentes que estejam matriculados no campus de João Pessoa da Universidade Estadual da Paraíba. No momento, há 35 estudantes residentes.

Do caos à ordem – Segundo Othon Gama, ao assumir a gestão da instituição, no começo do atual Governo, encontrou a Casa sem esgotamento sanitário, sem segurança e com má estrutura física em geral. Além disso, permaneciam hospedados estudantes que haviam sido reprovados, em desobediência às regras.

“Neste ano, resolvemos cumprir as regras e não aceitamos alunos repetentes. A Casa deve abrigar os que de fato precisam e se esforçam nos estudos. Os rapazes que aqui residem atualmente são altamente aplicados”, disse o presidente, acrescentando também que há menos residentes porque muitas cidades do interior hoje em dia já possuem escolas de ensino fundamental e médio. Antigamente, a Casa dos Estudantes era uma das poucas opções dos que viam do interior para estudar na Capital.

Instituição formadora – Ao longo de sua história, a Casa do Estudante formou um leque de personalidades políticas e intelectuais, pessoas que se destacaram e ainda se destacam, entre essas os ex-governadores Wilson Braga e Dorgival Terceiro Neto, o ex-ministro Mailson da Nóbrega, o ex-senador François Leite Chaves, o falecido poeta Jansen Filho, o jornalista e escritor Gonzaga Rodrigues e o cantor, compositor e atual secretário de Estado da Cultura, Chico César.

“Acho a Casa do Estudante fundamental para entender a liderança paraibana do século XX. Há muita história nesse lugar e muitas histórias a serem contadas”, disse Othon. Ele afirma, por exemplo, que o posto de presidência que hoje ele ocupa já foi exercido por alunos. E na época de estudantes e residentes da casa, Wilson Braga e Dorgival Terceiro Neto disputaram tal cargo. “Quem ganhou foi Wilson Braga, mas o interessante é que ambos se tornaram governadores da Paraíba”, comentou Othon Gama. A veia governante dos futuros políticos já aflorava desde então, lembra.

Residência feminina – A Fundação sempre abrigou apenas rapazes – fato que a Casa tenta mudar. Há ideias para construir uma residência feminina, mas ainda não há prazo. Os jovens que lá residem são considerados heróis pelos gestores, pois saem do interior do Estado, deixam lar e família muito jovens em busca de um sonho, de ter acesso a uma educação de qualidade. A Casa do Estudante dá abrigo, educação e alimentação a eles.

Atualmente, a Casa do Estudante garante acesso gratuito à internet e biblioteca, quatro refeições diárias orientadas por nutricionista e lavanderia, além de integrar seus residentes em ações nas áreas de saúde e esporte.

Um desses residentes é Severino David, representante dos estudantes, aluno do segundo ano do Ensino Médio na Escola Estadual Úrsula Lianza. Ele é natural do município de Santana dos Garrotes e reconhece: “Se não fosse a Casa, não estaria estudando na capital”, disse Severino, que pretende cursar Direito.

Ainda para este ano, a gestão da Casa anuncia a realização de reforma de toda a estrutura física da Funecap, usando recursos do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza no Estado (Funcep). Também está prevista a criação de um museu e produção de um documentário que contará a história da instituição, trazendo entrevistas com seus ilustres ex-residentes.