João Pessoa
Feed de Notícias

Casa do Artista Popular expõe ‘Renda Labirinto de Chã dos Pereira

sexta-feira, 7 de maio de 2010 - 17:44 - Fotos: 

A exposição ‘Renda Labirinto de Chã dos Pereira’ pode ser visitada até a próxima quarta-feira (12), na Casa do Artista Popular, localizada na Praça da Independência, João Pessoa. A mostra tem o apoio do Governo do Estado através da Secretaria de Estado do Turismo e Desenvolvimento Econômico (SETDE), do Programa do Artesanato Paraibano e Casa do Artista Popular.

A realização é da Associação de Amigos do Museu de Folclore Edison Carneiro, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, do Ministério da Cultura, com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e Sebrae. A ação é a nível do Programa de Promoção do Artesanato de Tradição Cultural – Programa Mais Cultura.

Peças e preços – Aberta na noite desta quinta-feira (6), a exposição tem 300 peças de renda labirinto feitas pelas artesãs do Distrito de Chã dos Pereira, no município de Ingá.
O público pode adquirir as peças a preços que variam de R$ 12,00 a R$ 500,00.  A visitação de terça a sexta-feira vai das 9h às 17h. No sábado, domingo e feriado, o horário é das 10h às 18h. O evento tem ainda o apoio do Sebrae-PB e da Prefeitura de Ingá. 
 
Resgate – A gestora do Programa de Artesanato Paraibano, Marielza Araújo, revela que o artesanato paraibano vivia escondido e a exposição ‘Renda Labirinto de Chã dos Pereira’, um projeto da Sala do Artista Popular do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular/CNFCP, é uma oportunidade para que os artesãos da área rural divulguem mais seus trabalhos e a população dos grandes centros conheça e resgate a cultura, o folclore paraibano. Marielza afirmou que o projeto também é uma ação social de geração de renda. As artesãs estão comercializando as peças até o próximo dia 12, na Casa do Artista Popular.

Novas exposições – Após a realização do XII Salão do Artesanato Paraibano, em Campina Grande, no mês de junho, a Casa do Artista Popular retomará exposições até o mês de dezembro beneficiando os artesãos, principalmente os assistidos pelo programa de Arranjos Produtivos Locais (APL), nas áreas de tecelagem, cerâmica, renda renascença, por exemplo.

Maria Botelho Lima, diretora do Museu Casa do Artista Popular, informa que a proposta é realizar uma exposição por mês. Em outubro, mês da criança, por exemplo, está prevista uma exposição com as bonecas de pano feitas por artesãs da cidade de Esperança.

Valorização – A presidente de honra do Programa do Artesanato Paraibano, arquiteta Sandra Moura, afirmou que a exposição objetiva “mostrar o trabalho das artesãs da Chã dos Pereira e contribuir para a valorização dessas talentosas mulheres. De parabéns o Governo do Estado e o Ministério da Cultura, pela parceria no projeto”, destacou Sandra.

A artesã Antonia Ribeiro de Mendonça, é a pioneira da renda labirinto do distrito de Chã dos Pereira, trabalha com a técnica há 66 anos. Fundou a Associação das Artesãs Rurais de Chá dos Pereira há 22 anos e com o seu talento já conheceu o Brasil, expondo e vendendo suas peças de renda. Atualmente dona Antonia é secretária da associação que tem 35 artesãs. A presidente atual é Josefa Ferreira de Oliveira. As duas participaram da abertura da exposição. A renda labirinto de Chã dos Pereira também já rompeu as fronteiras do Brasil. Em junho, vai marcar presença no XII Salão do Artesanato Paraibano, em Campina Grande.

Pólos – Wilmara Figueiredo, do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, órgão vinculado ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), está em João Pessoa acompanhando a exposição. Nesta primeira etapa, o projeto é desenvolvido em 65 pólos e na Paraíba o trabalho está sendo feito nas comunidades Chã dos Pereira, em Ingá, e na Comunidade Riacho Fundo, no município de Esperança, onde artesãs fazem as famosas bonecas de pano.

Wilmara Figueiredo revela que basicamente as atividades se pautam em três grandes eixos: apoio à produção, à divulgação e apoio à comercialização. A representante do Programa de Promoção do Artesanato de Tradição Cultural elogiou a qualidade da renda labirinto produzida pelas artesãs de Chã dos Pereira.

Josélio Carneiro, com fotos de Alberi Pontes, da Secom-PB