Fale Conosco

12 de janeiro de 2013

Capacitação mobiliza gerências de saúde no mapeamento da dengue



O Ministério da Saúde destinou recursos aos municípios para qualificação das ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti. Para a utilização desses recursos, os municípios devem cumprir algumas metas, entre elas a realização do Levantamento Rápido de Índices do Aedes aegypti (LIRAa). Por esse motivo, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), realiza, a partir desta segunda-feira (14), reuniões com as Gerências Regionais de Saúde (GRS).

De acordo com a gerente operacional de Vigilância em Saúde da SES, Djanira Lucena, o foco da SES é a implementação do levantamento. “Nós estamos buscando capacitar e qualificar as GRS para que apoiem os municípios na realização do LIRAa. Em 2010, só três municípios realizavam o levantamento. Ano passado passaram para 35 municípios e neste ano a gente quer alcançar os 223 municípios do Estado. Estamos em um período de sazonalidade do vetor e por isso a gente precisa que os municípios estejam aptos a realizar esse levantamento”, disse.

O LIRAa é uma metodologia de trabalho para identificar os locais de maior índice de infestação do mosquito transmissor da dengue. Assim, pode-se avaliar o risco de possíveis epidemias e intensificar as ações de combate e controle da dengue nas regiões onde o índice de infestação estiver mais elevado. “Esse levantamento gera informações, não somente durante o trabalho de rotina, mas principalmente em momentos críticos, fazendo uso de uma metodologia capaz de fornecer dados em tempo hábil para estruturar ações específicas e aumentar a eficácia no combate ao mosquito transmissor da dengue como, por exemplo, identificar sistematicamente os potenciais criadouros do Aedes aegypti, permitindo conhecer a importância epidemiológica desses depósitos e o direcionamento de ações de controle vetorial. O LIRAa nos dá o retrato dos municípios, mostrando quais áreas estão mais críticas, para que possamos distribuir as ações de uma maneira mais adequada, reduzindo assim a infestação do mosquito”, disse Djanira.

A SES convidou para participar das reuniões os apoiadores de Vigilância Ambiental das GRS e os gerentes regionais de saúde. Segundo Djanira, as reuniões estão abertas para a toda a Vigilância Epidemiológica. As reuniões serão realizadas na Comissão Intergestores Bipartite – CIB, na própria SES, durante todo o dia. Os encontros ocorrem até a próxima quinta-feira (17).

Programação das reuniões

Segunda (14) – 1ª Macro (1ª, 2ª e 12ª GRS)

Terça (15) – 2ª Macro (3ª, 4ª e 5ª GRS)

Quarta (16) – 3ª Macro (6ª, 7ª e 11ª GRS)

Quinta (17) – 4ª Macro (8ª, 9ª e 10ª GRS)