João Pessoa
Feed de Notícias

Campus V da UEPB em João Pessoa funciona em novo espaço a partir desta 2ª

sexta-feira, 11 de março de 2011 - 18:51 - Fotos: 
O secretário de Estado da Educação, Afonso Celso Scocuglia, a reitora da Universidade Estadual da Paraíba Marlene Alves e demais pró-reitores da Instituição instalaram o Campus V da UEPB na manhã desta sexta-feira (11), na Escola Estadual José Lins do Rêgo, no Cristo, onde vai funcionar a partir desta segunda-feira (14), data do início das aulas.

Na ocasião foram visitadas as salas de aula, biblioteca, área administrativa e demais setores que já estão prontos. Também foi realizada uma reunião com os arquitetos responsáveis pelas obras que serão entregues no decorrer do primeiro semestre deste ano, ou seja, Centro de Artes, restaurante e biblioteca com mezanino.
O Campus V da UEPB funcionará com 20 turmas pela manhã e 20 turmas à noite, para aproximadamente 900 alunos dos cursos de graduação em Arquivologia, Biologia e Relações Internacionais, o Mestrado em Relações Internacionais e o Centro de Línguas, que vai ser disponibilizado nos três turnos para a comunidade em geral. O Campus de João Pessoa tem 70 professores e vai ficar instalado na unidade escolar até a construção do local definitivo. A Escola José Lins do Rego também funciona com 26 turmas do Ensino Médio nos turnos da tarde de noite.  

Desde 2006, quando foi criado, o Campus de João Pessoa já foi sediado na Escola de Serviço Público do Estado da Paraíba (Espep), em Mangabeira; na Avenida Epitácio Pessoa, na Rua Monsenhor Walfredo Leal e, atualmente, na Escola José Lins do Rêgo.

Segundo o secretário de Educação, Afonso Scocuglia, a vinda da UEPB para essa nova sede irá gerar uma nova possibilidade de ensino integrado, que beneficiará não apenas os estudantes do Ensino Médio e Superior como a educação básica, que será contemplada por projetos da Instituição. Além disso, Scocuglia divulgou que em breve não só os estudantes de João Pessoa como os demais alunos de municípios atendidos pela UEPB passarão a contar com um projeto de curso pré-vestibular gratuito que será oferecido na Instituição com o apoio do Governo do Estado.

“Nossa intenção é que a UEPB seja ainda mais decisiva para a Educação da Paraíba, para isso temos esse projeto abrangente. No Campus V, por exemplo, o aluno do Ensino Médio terá uma formação profissionalizante que irá prepará-lo para o mercado de trabalho e, ao mesmo tempo, poderá integrar o curso pré-vestibular da UEPB e se preparar para o vestibular. Então, a UEPB é nossa prioridade em termos de Educação e terá total apoio do Governo do Estado nessa perspectiva”, declara o secretário.

 
De acordo com a reitora Marlene Alves, essa é a primeira vez que o Campus V da UEPB ganha um espaço à altura das atividades desenvolvidas pela Instituição. “Essa nova conquista é um grande passo que estamos dando junto ao Governo do Estado na formação e educação dessa juventude que nós atendemos. É um avanço em todos os aspectos”, comemora.

Projeto – Em reunião realizada nas dependências do Campus, os arquitetos Leila Azouz e Leonardo Maia, responsáveis pelo projeto de construção, adaptação e zoneamento da unidade e seu entorno, apresentaram os projetos da nova biblioteca, Escola de Artes e restaurante que serão construídos na Escola José Lins do Rêgo. Também foi mostrado o projeto da nova fachada do prédio, que ficará pronta nos próximos 15 dias.

A biblioteca do Campus V será um local totalmente independente, com espaço para o acervo de livros, uma bateria de banheiros, ala administrativa, setor para estudos individuais e coletivos, além do mezanino, que será uma área multimídia e também contará com um local reservado para reuniões.
O Centro de Artes contemplará quatro salas de aulas para até 40 pessoas, um mini-auditório com espaço de apoio e capacidade para 65 pessoas e setor administrativo. Já o restaurante é definido pelos arquitetos como um ambiente despojado, que terá espaços de vivência e áreas verdes. A previsão da equipe que trabalha nas obras do Campus V é que tudo fique pronto até agosto deste ano.

Os responsáveis pelo projeto declararam que a ideia principal é construir algo contemporâneo sem deixar de atender as necessidades da comunidade acadêmica. A equipe também procurou alternativas de trabalho que não atrapalhem o andamento das aulas com barulho e sujeira, enquanto as obras estiveram em andamento. “Evitaremos ao máximo alterar a rotina de atividades acadêmicas. Na fachada, por exemplo, usaremos placas de Reynobond, que é um material com impacto visual e de fácil aplicação.”, explicou Leila.