João Pessoa
Feed de Notícias

Campanha ‘Não finja que não viu’ une municípios pelo fim da violência

segunda-feira, 27 de maio de 2013 - 11:44 - Fotos:  Lívia Reis/Sedh

As atividades da campanha de proteção integral aos direitos de crianças e adolescentes ‘Não finja que não viu’ incluíram audiência pública, panfletagem e caminhada, em Boa Ventura, no Vale do Piancó; e em Marcação, no Litoral Norte do Estado, nesse fim de semana.

A ação do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), recebeu apoio dos municípios, entidades sem fins lucrativos, organizações não governamentais, taxistas, trade turístico e outros segmentos que estão unidos pelo fim da violência infantil na Paraíba.

Esta é uma campanha permanente, ancorada nas ações que o Governo do Estado tem em várias áreas. Estamos unindo forças para que todos também abracem a causa e que possamos ter mais consciência de que é preciso denunciar os casos de violência infantil. Não podemos ser omissos”, alertou a secretária da Sedh, Aparecida Ramos. 

Em Boa Ventura, uma audiência pública na Câmara Municipal fez o alerta sobre a violência infantil. A gerente de proteção especial da Sedh, Carmem Meireles, explicou quais são os principais sintomas que podem apontar que a criança ou adolescente seja vítima da violência sexual.

A equipe da Sedh também distribuiu material educativo entre a população de Boa Ventura.

Mobilização nas ruas – No município de Marcação, a campanha aconteceu em parceria com o município, que realizou uma caminhada pelas principais ruas da cidade. A mobilização chamou atenção sobre a necessidade de denunciar casos de violência infantil.

A secretária de Ação Social do município, Érica Correia, participou da ação e falou do enfrentamento à violência. “É muito importante a união entre o Governo do Estado e a prefeitura porque juntos temos mais forças para agir contra os casos de violência infantil”, disse.

Campanha permanente – A Campanha, lançada na última segunda-feira (20), pelo governador Ricardo Coutinho, será permanente. Durante todo o ano haverá mobilizações com palestras em escolas públicas e privadas, abordagens em feiras livres e atos públicos nos municípios sobre os principais tipos de violência contra crianças e adolescentes. Haverá também Concurso de Boas Práticas, que vai ser lançado em junho, com premiação para o melhor trabalho. O objetivo da mobilização é o combate às violações de direitos de crianças e adolescentes.

Enfrentamento – Para coibir esse tipo de violência, entre as ações do Governo do Estado, está o Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte, que garante a segurança de vítimas que sofrem ameaças graves. O programa prevê, inclusive, dependendo do grau da agressão, que a vítima, com a família, seja transferida para outro Estado onde tenha total segurança.

Entre outras ações realizadas para que os direitos da criança e adolescente sejam cumpridos, foram capacitados conselheiros tutelares e de direito, além dos profissionais que atuam nos Centro de Referência Especializados de Assistência Social (Creas). Eles recebem orientações de como atender crianças e adolescentes vítimas de exploração e abuso sexual e violência infantil.

Ainda nos 20 Creas Polos Regionais que atendem juntos a mais de 155 municípios paraibanos, o Governo do Estado equipou os Centros com carros para que os profissionais possam chegar à zona rural e também adquiriu material lúdico e equipamentos.

O projeto Criança.PB, da Sedh, disponibiliza um site onde são incentivadas reportagens com a temática criança e adolescente. Por meio desse projeto, também são oferecidas capacitações voltadas para jornalistas, radialistas, taxistas e o trade turístico sobre os direitos da criança e adolescentes. Ainda existe uma premiação para a melhor reportagem sobre a temática que deve acontecer no final deste ano.

O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente acompanha e fiscaliza todas as ações desenvolvidas pela Sedh.