Fale Conosco

14 de junho de 2013

Campanha “Não finja que não viu” participa da quinta audiência pública na Capital



A Campanha de Proteção Integral a criança e ao adolescente “Não finja que não viu”, coordenada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), participou nesta sexta-feira (14) da quinta audiência pública para o enfrentamento de violação de direitos de crianças e adolescentes. O evento ocorreu na Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Centro de João Pessoa, articulado pelo Sistema de Garantia de Direitos.  

O objetivo é fortalecer em toda a Paraíba a rede de garantia de direitos da criança e adolescente, oferecendo mais assistência às vítimas e o enfrentamento aos casos de violência. De acordo com dados do Disque 100 dos Direitos Humanos, o ano passado foram registrados mais de 10 mil casos de violação de direitos de pessoas até 18 anos.

A secretária de estado de Desenvolvimento Humano, Aparecida Ramos, falou sobre o compromisso do Governo do Estado em enfrentar todo tipo de direito violado da criança e adolescente, por isso lançou a campanha de forma integral. “Esta campanha está dividida em três etapas. A primeira que aborda a violência sexual, agora o enfrentamento ao trabalho infantil e a terceira etapa será o fortalecimento de vínculos familiares. O Governo do Estado, alicerçado nos programas que existem, está unindo forças para enfrentar à violência contra criança e adolescente”, ressaltou.

A audiência também contou com a presidente da Fundac, Sandra Marrocos, além de policiais, educadores, representantes de organizações, associações, assistentes sociais, equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de João Pessoa, entre outras.  

Municípios – As audiências públicas serão realizadas nos municípios que tiveram o maior número de denúncias pelo Disque 100. Até agora foram realizadas em cinco cidades: Boa Ventura, Areia, Remígio, Patos e João Pessoa. Outros 10 municípios paraibanos também realizarão a audiência: Princesa Isabel, Bayeux, Santa Rita, Campina Grande, Sapé, Sousa, Nazarezinho, Lagoa Seca, Mamanguape, Guarabira.

A Campanha também está realizando panfletagem, adesivagem, visitas a feiras livres, palestras em escolas com o objetivo de conscientizar a população sobre as principais causas de violência que precisam ser denunciadas.