Fale Conosco

23 de maio de 2014

Campanha de vacinação contra gripe é prorrogada até dia 30 de maio



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), decidiu prorrogar até o próximo dia 30 de maio a campanha de vacinação contra a gripe ,que terminaria nesta sexta-feira (23). Esta já é a segunda prorrogação – a primeira data limite era dia 9 de maio – pelo mesmo motivo: os municípios não cumpriram a meta de imunizar 80% do público-alvo, conforme estabelece o Ministério da Saúde. Até o momento, apenas dois estados do país atingiram a meta – Paraná e Santa Catarina.

A Paraíba imunizou 604.756pessoas contra a influenza, o que representa 70,69% do público alvo, sendo 177.778 crianças (67,09%); 30.125 gestantes (68,34%); 324.567 idosos (71,07%); 6.144 mulheres em pós-parto (84,86%); 53.759 trabalhadores da saúde (76,98%) e 12.383 indígenas (97,50%).

De acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga, depois de uma avaliação dos números da campanha, foi decidido que os municípios serão orientados para manter a vacinação. “Desde o início, estamos com um índice de cobertura muito próximo ao nacional, que está em 71,50%. A orientação que damos aos municípios é que, a partir desta sexta-feira (23), avaliem sua cobertura e não atingindo a meta da campanha, o município continue vacinando”, disse.

Saiba mais – Na Paraíba, foram distribuídas pouco mais de um milhão de doses da vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde para este ano (A/H1N1, A/H3N2 e influenza B).

A campanha deste ano tem como novidade a ampliação da faixa etária infantil para crianças de seis meses a menores de cinco anos. No ano passado, o público infantil foi de seis meses a menores de dois anos. Também são imunizadas pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. As pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais também devem se vacinar. Para esse grupo não há meta específica de vacinação.

Reações adversas – Após a aplicação da vacina podem ocorrer, de forma rara, dor no local da injeção, rubor inflamatório e endurecimento do tecido. São manifestações consideradas benignas e, na maioria das vezes, seus sintomas passam em até 48 horas. A vacina é contra-indicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para quem tem alergia grave relacionada ao ovo de galinha e seus derivados.

Novidades – Além de ampliar a vacina para crianças de seis meses a menores de cinco anos, este ano a campanha foi estendida também para funcionários do sistema prisional e portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Klinefelter, Síndrome de Warkany, dentre outras trissomias).

Outra novidade é que a vacinação do grupo com comorbidade (pessoas com doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias) passa a ser realizada em todos os postos de vacinação, deixando de ser feita exclusivamente no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie) e subunidades.