João Pessoa
Feed de Notícias

Campanha de proteção à criança e ao adolescente reúne forças no Brejo Paraibano

quarta-feira, 5 de junho de 2013 - 18:50 - Fotos: 

Uma audiência pública sobre a violência contra criança e adolescente, na manhã desta quarta-feira (5), na Câmara Municipal de Remígio, uniu forças para a Campanha de Proteção Integral à Criança e ao Adolescente “Não finja que não viu”.

A campanha do Governo do Estado, coordenada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), está sendo apresentada aos municípios paraibanos para coibir os casos de violação de direitos da criança e adolescentes.

De acordo com dados do disque 100 dos Direitos Humanos, no ano passado foram registrados mais de 10 mil casos de violação de algum tipo de direito até a faixa etária dos 18 anos.

O objetivo da campanha é divulgar os vários tipos de agressão e incentivar a população a denunciar os casos junto aos Conselhos Tutelares, Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), disque 100 e até na própria escola. Após a denúncia, os encaminhamentos necessários são realizados por meio da rede de proteção.

De mãos dadas – A psicóloga Lúcia Nascimento representou a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh) durante o evento e convocou a todos para o enfrentamento à violência, que muitas vezes acontece dentro da própria casa. Na ocasião, a equipe da Sedh também distribuiu material educativo para alertar a população sobre a problemática.

O prefeito de Remígio, Melchior Naelson Batista, esteve presente e destacou que está empenhado em coibir a violência infantil. “Este é um problema muito sério que estamos tentando resolver desde o primeiro dia da nossa administração. A Secretaria de Assistência Social está buscando apoio e estivemos com a Secretaria de Desenvolvimento Humano do Governo do Estado e em Brasília para juntos enfrentarmos a violência infantil”, disse.

O delegado da cidade, Lamartine Lacerda, também compareceu à audiência pública e falou sobre o comprometimento da polícia com os casos que chegam até a delegacia.

Drama da vida real – Algumas mães que tiveram os filhos vítimas de violência sexual infantil ocuparam a tribuna e relataram o drama que viveram. Uma chegou a dizer que o caso foi denunciado, chegou à justiça, mas depois foi arquivado.

Os profissionais também dividiram experiências de atendimento envolvendo crianças e adolescentes nos Centros de Referência e Conselhos Tutelares.

A solenidade, articulada pelo Sistema de Garantia de Direitos, contou com vereadores, conselheiros tutelares, profissionais do Creas Pólo Regional de Areia, Cras de Remígio, agentes de saúde, técnicos do Tribunal de Justiça da Paraíba e população da cidade.