João Pessoa
Feed de Notícias

Caderno Boa Viagem, do jornal O Globo, traz oito páginas sobre o ‘Destino Paraíba’

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012 - 15:59 - Fotos: 

O caderno Boa Viagem, da edição desta quinta-feira (20) do jornal O Globo (RJ), traz como destaque o ‘Destino Paraíba’.  A reportagem assinada pelo jornalista Eduardo Vessoni narra em oito páginas um roteiro com os principais atrativos turísticos paraibanos, que vão desde praias quase desertas no litoral às pegadas de dinossauros no alto sertão; do patrimônio histórico de João Pessoa às cidadezinhas pitorescas em pleno sertão até a boa mesa.

Eduardo Vessoni destaca uma sequência de experiências que incluem além das praias urbanas de João Pessoa, as praias paradisíacas do litoral Sul; passeios ecológicos por manguezais, aldeias indígenas, hospitalidade, gastronomia e o turismo rural “orientado pelo sabor da comida de fazenda e pelo aroma forte da cachaça. A reportagem também destaca as trilhas em cenários áridos de tons alaranjados que costumam aparecer apenas em filmes nacionais; rotas históricas que levam o visitante a épocas de dinossauros e desenhos rupestres” narra.

O jornalista de O Globo veio à Paraíba atendendo um convite da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) em outubro deste ano. A ação contou com a parceira dos Conventions Bureaux de João Pessoa e Campina Grande, a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH-PB), do Sebrae-PB, a Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav) e prefeituras.

Surpresas entre cânions e coqueiros – Vessoni aponta no texto, que, seguindo o litoral rumo ao Sul da Paraíba, a natureza parece ter exagerado no traçado da costa litorânea, cuja geografia curvilínea abriga praias e baías escondidas que fazem daquele território, a 35 minutos de João Pessoa, um dos mais belos de todo o estado. Ali, segundo o jornalissta-narrador, percebe-se que nem só de praias de areia fina e águas azuladas se faz o litoral paraibano. “Cânions que se revelam diante do mar, pedras de formatos misteriosos e trilhas pela mais árida das paisagens nordestinas são alguns dos cenários que surpreendem os forasteiros”, afirma.

“Para quem percorre as praias do litoral rumo ao Norte do estado, o município de Cabedelo, a 18 quilômetros de João Pessoa, guarda não só atrações bem manjadas como a Praia do Jacaré, onde o músico Jurandy do Sax toca para turistas o “Bolero” de Ravel, como também as piscinas naturais de Areia Vermelha, um banco de areia que emerge no período de maré baixa a 1,5 km da costa da praia de Camboinha”.

Ainda no litoral Norte, a reportagem dá um destaque especial para Barra de Camaratuba (Mataraca). “Essa comunidade simples de chão de terra batida parece mesmo preocupada com a tábua da maré que enche ou diminui o volume das águas do rio que dá nome à cidade, que  é marcada por uma extensa praia com 13 km de mar aberto conectada ao rio local por nostálgicos passeios de jangada administrados por índios potiguaras que vivem na região. O local é considerado uma das últimas áreas selvagens do litoral nordestino e endereço da única reserva indígena dos potiguaras  ainda existente, em Baía da Traição”, ressalta Vessoni.

É ali também, descreve Vessoni, “ que acontece uma das experiências mais inusitadas da região: a fascinante trilha pelo interior de um mangue local. A caminhada começa em um trecho raso do manguezal, onde coloridas espécies de caranguejos se destacam naquele mundo particular de visual acinzentado e tronco de árvores arqueado”, descreve.

Sertão – Vessoni revela que poucos sabem é que o sertão paraibano conta com cenários escondidos que podem ser descobertos a partir de trilhas de fácil acesso. A reportagem destaca a Pedra do Tendó, que “é uma das primeiras paradas e seu platô com vista para a Serra de Teixeira garante a observação de fins de tarde arrebatadores. Localizada a 800 metros de altitude, entre Teixeira e Patos, a pedra está no interior de uma reserva ecológica e é um impressionante mirante com vistas panorâmicas”.

Mais adiante, entre as cidades de Mãe d’Água e Matureia, o Pico do Jabre é outro ponto que garante novas perspectivas da região, a 1.197 metros de altitude, um dos pontos mais altos da Paraíba. O Parque Estadual do Pico do Jabre, uma área de 850 hectares, que pode ser alcançada de carro ou a pé por uma estrada íngreme de pedra a partir de Matureia, abriga outros pontos de observação, como a Pedra do Caboclo e a Pedra do Cruzeiro do Damião.

A minúscula Matureia, cidade da região metropolitana de Patos, conquista os viajantes pelo estômago com lugares como o restaurante da Pousada Pico de Jabre, um estabelecimento simples administrado pelos simpáticos proprietários Geraldo e Renata, que costumam receber  forasteiros como se acabasse de chegar um velho amigo. O café da manhã sertanejo e a comida caseira adaptada para hóspedes com restrições alimentares fazem do local uma das melhores paradas.

Lajedo do Pai Mateus – Vessoni afirma no texto que a Paraíba capricha em cenários de desenhos inusitados como o Lajedo do Pai Mateus. Localizado em Cabaceiras, cidade do semiárido a 166 km da capital, na fotogênica região do Cariri, o local ocupa uma área privada de um hotel fazenda local e abriga uma impressionante sequência de blocos de granito arredondados que vão assumindo novas tonalidades ao longo do que vão assumindo novas tonalidades ao longo do dia. A reportagem completa pode ser acessada pelo link: http://oglobo.globo.com/boa-viagem/para-curtir-litoral-da-paraiba-sem-pressa-7100517