João Pessoa
Feed de Notícias

Corpo de Bombeiros inicia inspeção em prédios para verificar segurança

quinta-feira, 9 de agosto de 2012 - 15:36 - Fotos:  José Lins/Secom-PB

Foto: José Lins/Secom-PB

Um trabalho preventivo contra incêndio e outros acidentes está sendo realizado pelo Corpo de Bombeiros da Paraíba. Na manhã desta quinta-feira (9), foi realizada inspeção no edifício Renascença, no bairro dos Bancários, em João Pessoa, nas proximidades do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê). Os prédios serão relacionados para fiscalização.

A equipe dos bombeiros, comandada pelo capitão Marcone Osório, verificou as condições dos extintores, mangueiras, sistema de alarme, corrimão e outros equipamentos utilizados em urgência e emergência em casos de incêndios. Ficou constatado que o núcleo residencial atinge todas as normas e regras de segurança pública exigidas.

Para o capitão Marcone, o núcleo residencial está dentro dos padrões exigidos pelo Corpo de Bombeiros. “É obrigação nossa vistoriar edifícios residenciais e comerciais, independente de denúncias ou não. No caso do Renascença, não comprovamos a veracidade da denúncia de que os extintores estariam com data de validade vencida”, garantiu. Esta foi a segunda inspeção realizada no local.

O Edifício Renascença teve sua construção iniciada em 2009 e concluído e entregue em março deste ano. A engenheira Ana Lúcia, responsável pela construção do imóvel, disse que ele é composto por 26 andares em duas torres, totalizando 225 apartamentos. Durante a inspeção, o Corpo de Bombeiros Militar testou as mangueiras, observou a situação dos extintores por andar, analisou o sistema de alarme do edifício, bem como vistoriou a situação dos corrimãos, sistema de iluminação, dentre outros.

Sem ter detectado qualquer problema que possa causar risco de incêndio no edifício Renascença, o oficial do Corpo de Bombeiros fez questão de informar sobre a necessidade de alguns equipamentos básicos de prevenção a incêndios em residências, principalmente em prédios comerciais e residenciais.

Segundo o capitão Marcone, condomínios com mais de 150 m² de área e com mais de 12 metros de altura precisam ter os seguintes equipamentos de emergência, extintores, hidrantes, alarmes, escadas de segurança e porta corta-fogo, exigidas para construções após 1983. Cada extintor deve cobrir uma área máxima de 500 m², de forma a que nenhuma pessoa precise percorrer mais de 25 metros para alcançar o equipamento.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, os síndicos devem manter em todas as entradas do edifício uma planta de risco, a fim de evitar qualquer perda de tempo na chegada dos bombeiros em caso de incêndio. Sua elaboração ajuda a identificar os itens importantes na prevenção de incêndio.

Em uma planta de risco devem constar diversas orientações, dentre elas: válvulas de controle de gás e outros combustíveis; chaves de controle elétrico e armazenagem de produtos químicos e perigosos; registros e portas corta-fogo, que fecham automaticamente em caso de incêndios, e botoeiras para acionamento manual destes dispositivos.

Outros planos de risco são: pontos de saída de fumaça e janelas que podem ser abertas em edifícios selados; painéis de sinalização e alarme de incêndio; casa de bombas do sistema de hidrantes; hidrantes internos e externos e hidrantes de recalque e as respectivas válvulas de controle, incluindo a de chuveiros automáticos; extintores e mangueiras, dentre outros.