João Pessoa
Feed de Notícias

Bombeiros farão trabalho de prevenção em condomínios

quinta-feira, 11 de março de 2010 - 11:03 - Fotos: 
O Corpo de Bombeiros pretende lançar até o final deste mês um projeto que vai levar mais segurança a condomínios. Os militares farão visitas nos edifícios para orientar os moradores a prevenir incêndios. Uso adequado de extintores, evacuação do prédio e alertas sobre atitudes que podem causar os acidentes serão as principais recomendações da Corporação.

O trabalho contará com a parceria da Polícia Civil, com agentes participando das visitas e informando a condôminos e porteiros as formas de evitar a entrada de marginais nos apartamentos.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros da Paraíba, coronel Ricardo Rodrigues da Costa, as visitas ocorrerão aos sábados e serão agendadas com a ajuda do sindicato dos condomínios. “As equipes vão solicitar que os síndicos tomem as providências necessárias sempre que houver a constatação de irregularidades. O trabalho será educativo, preventivo e social com o objetivo apenas de evitar tragédias”, acrescenta.

O oficial lembra ainda que este é apenas um dos nove projetos que a Corporação pretende colocar em prática até o final deste ano. Ele adianta que outra ação dos militares será realizada nas praças dos bairros. “Nesses locais, os militares irão ensinar cuidados simples, mas que podem prevenir incêndios e até mortes”, destaca o comandante.

 
Prevenção – Com apoio de material educativo, os bombeiros mostrarão as pessoas como os acidentes podem ser evitados em casa. Uma das recomendações está relacionada ao uso dos chamados ‘benjamins’ ou ‘tês, que são pinos de três fases de entrada para conexão de energia.

O acessório permite que três eletrodomésticos sejam conectados ao mesmo tempo à tomada elétrica. No entanto, o comandante alerta que as máquinas não podem ser ligadas ao mesmo tempo. “Isso pode causar uma sobrecarga elétrica e gerar um incêndio”, adverte.

Outro cuidado que as pessoas devem ter é na hora de manter televisores e outros equipamentos ligados próximos a móveis feitos de material inflamável, como camas e sofás. Rodrigues explica que já houve casos em que houve casos em que ocorreu uma descarga elétrica e o incêndio, que começou nos aparelhos, se alastrou pelo colchão e espumas do sofá.

Mais dicas – Apesar de não ter colocado os projetos em prática, o comandante do Corpo de Bombeiros destaca que algumas atitudes podem salvar a vida da vítima de incêndio. Ele orienta que a primeira atitude a ser tomada por alguém que está num local cercado pelas chamas é procurar uma saída. Para isso, se ele precisar ultrapassar por uma labareda de fogo, pode se proteger com uma colcha ou toalha molhada.

Geralmente, quem não morre pelos danos das queimaduras, perde a vida pela asfixia. É que o fogo produz muito monóxido de carbono, gás tóxico e fatal para os humanos. Uma forma de evitar a entrada dessa substância nos pulmões é usando um pano molhado sobre o nariz. “Ele serve como um filtro para o monóxido e evita que a pessoa seja asfixiada pela fumaça. Assim, ela pode procurar o caminho da saída e salvar sua própria vida”, detalha o oficial.

Em locais distantes do fogo, mas que já estão tomados pela fumaça, o coronel também aconselha que a pessoa rasteje em busca da saída. “A fumaça é mais leve que o ar e sobe. O oxigênio fica mais próximo à superfície do chão. Se a vítima conseguir rastejar, poderá encontrar o oxigênio e não morrer de asfixia”, completa Rodrigues.

Um erro muito comum das pessoas que são cercadas pelo fogo é tentar se refugiar no banheiro e usar a água da torneira e do chuveiro para se livrar do calor e das chamas. O comandante alerta que essa medida deve ser evitada, pois a água pode evitar a morte por queimadura, mas a vítima acaba morrendo por asfixia.

Durante as palestras, o Corpo de Bombeiros também irá abordar os cuidados que a população deve ter com panelas sobre o fogão, uso de eletrodomésticos e de botijões de gás. O coronel Rodrigues lembra que o gás de cozinha em botijões possui um sistema de segurança que emite um cheiro forte quando está ocorrendo vazamento. “As pessoas ao chegarem em casa e sentirem o cheiro forte do gás, não podem acender nem apagar as luzes.

Devem abrir portas e janelas para que a casa seja ventilada e o gás se disperse. Acionar o interruptor pode acender uma faísca e causar uma explosão na casa”, alerta.

Todas essas orientações estarão presentes em cartilhas e folders a serem distribuídos gratuitamente entre a população. No entanto, a maior de todas as recomendações para situações de incêndio é permanecer fora de casa ou procurar a saída, caso esteja em local fechado, e acionar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193. Uma equipe irá ao local para fazer o socorro ou verificar se há risco de ocorrer um possível incêndio.

Nathielle Ferreira, da Secom-PB