João Pessoa
Feed de Notícias

Bom atendimento para gravidez de alto risco aumenta demanda na Frei Damião

sexta-feira, 13 de setembro de 2013 - 17:02 - Fotos:  Walter Rafael/Secom-PB

Em sua segunda gravidez de risco, a camareira Patrícia França da Silva, 33 anos, diz que está confiante em que dará tudo certo porque tem sido atendida na Maternidade Frei Damião, que disponibiliza assistência especializada para esses casos no setor de pré-natal.

Unidade que integra a rede pública do Governo do Estado, a maternidade está localizada no bairro de Cruz das Armas em João Pessoa. Lá são realizados todos os exames laboratoriais de rotina, ultrassonografia obstétrica com doppler e cardiotocografia. A equipe é formada por um ginecologista obstetra, cardiologista, endocrinologista, enfermeira e técnica de enfermagem. O atendimento ocorre de segunda a quinta-feira das 7h ao meio-dia e das 13 às 17h, e nas sextas-feiras das 7h ao meio-dia.

Patrícia França está com sete meses de gravidez em sua segunda gestação de alto risco. Na primeira a gestação não se completou. “Tenho certeza que dessa vez minha filha vai nascer bem e linda”, disse a paciente, que elogia a qualidade do tratamento: “O médico fala com a gente, explica a necessidade dos exames que ele pede, escuta o bebê, mede a barriga. E não é só ele. Toda equipe atende a gente muito bem, com muito carinho e atenção. Esse atendimento está me deixando muito confiante que dessa vez terei um parto de sucesso”, disse.

A qualidade no atendimento a mulheres como Patrícia contribui com o crescimento da procura pelos serviços dessa unidade: neste até agora já foram 1.506 atendimentos, enquanto no ano passado, quando o serviço foi implantado, foram 1.516 consultas.

De acordo com uma parceria entre a Maternidade Frei Damião e 28 Unidades de Saúde da Família (entre elas as do Bairro das Indústrias I a IV; Cruz das Armas de I a X; Funcionários I e II; Jardim Planalto I e II; Jardim Veneza de I a V e Bairro dos Novaes de I a V), as mulheres devem levar o encaminhamento da USF e, após isso, o atendimento fica acontecendo por agendamento. Além dessas unidades, as consultas são feitas com mulheres dos municípios do Conde, Alhandra, Pitimbu, Alagoinha, Bayeux e Santa Rita.

Objetivo do trabalho – O obstetra Fernando Cabral Gondim informa que existem as patologias do feto, da mãe e as específicas da gestação, como pré-eclâmpsia, diabetes gestacional, retardo de crescimento intra-uterino, etc. “O objetivo do nosso trabalho é buscar diminuir a mortalidade e morbidade materna e fetal, tentando, o máximo, conduzir a gestação a termo, evitando o risco da prematuridade”, explicou o médico.

Mas o que mais chama a atenção da população é a forma humanizada com que a equipe faz o atendimento. “Nem dá para acreditar que um serviço tão bom, seja totalmente gratuito, graças ao SUS”, comenta a estudante Ana Kelly, de 22 anos, grávida de seis meses.

A enfermeira Anita Medeiros falou que a humanização vem da concepção do trabalho: “A equipe é muito humana porque vê o paciente como um todo, não apenas como uma estatística de atendimento. O resultado é a satisfação das pacientes que nunca faltam às consultas”, falou. A também enfermeira Mônica Albuquerque compartilha: “Eu fico feliz com o resultado final que é o parto bem sucedido, com bebês saudáveis”, disse.

Em 35 anos de trabalho, exclusivo no SUS, o maior retorno são os gestos de reconhecimento das pacientes. Muitas, algum tempo depois, trazem seu bebês para mostrar à equipe quão saudáveis estão. Isso é uma grande satisfação pra todos nós. Este espírito de equipe é que faz tudo funcionar bem”, disse o médico Fernando.