João Pessoa
Feed de Notícias

‘Big Jato’, ‘Kiriku’ e filme islandês são destaques na programação do Cine Bangüê

quarta-feira, 29 de junho de 2016 - 10:18 - Fotos:  Divulgação

A programação do Cine Bangüê, até o próximo dia 10 de julho, destaca produções do cinema nacional. Estão em cartaz no cinema da Fundação Espaço Cultural, em João Pessoa, três filmes brasileiros: ‘Big Jato’, ‘O signo das tetas’ e ‘Teobaldo morto, Romeu exilado’. Também haverá sessões com a animação francesa ‘Kiriku’ e o premiado drama islandês/dinamarquês ‘Desajustados’. As sessões custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada).

‘Big Jato’ estreou na última segunda-feira e tem sessões na próxima quinta-feira, dia 30 (18h30), segunda-feira, dia 4 (18h30), quarta-feira, dia 6 (17h30), e sábado, dia 9 (18h). O filme dirigido pelo pernambucano Cláudio Assis tem Matheus Nachtergaele como protagonista e destaca a atriz paraibana Marcélia Cartaxo.

A sinopse é a seguinte: o menino Francisco passa os dias a acompanhar o pai caminhoneiro (Matheus Nachtergaele) nas estradas. O homem é motorista do imponente Big Jato, um caminhão-pipa utilizado para limpar as fossas da cidade sem saneamento básico. Mas, o garoto está mais interessado nas ideias do tio, um artista libertário e anarquista. À medida que descobre o primeiro amor, Chico percebe a vocação para se tornar poeta.

Com participação especial de Jards Macalé, o elenco conta com Matheus Nachtergaele, Marcélia Cartaxo, Rafael Nicácio, Artur Maia, Vertin Moura, Francisco de Assis Moraes, Clarice Fantini, Fabiana Pirro, Gabrielle Lopes, Pally Siqueira.

Mais dois filmes nacionais - O limite entre a razão e a loucura é o pano de fundo de ‘O signo das tetas’ (dia 5, às 18h30; dia 7, às 20h30; e dia 10, às 18h). O diretor Frederico da Cruz Machado constrói sua narrativa em torno de um homem em busca de seu passado. A personagem interpretada por Lauande Aires percorre diversas cidades do interior do Maranhão para tentar reconstruir sua história. Nesse road movie, ele vai conhecer os mais variados tipos de pessoas e reencontra signos de sua vida, mostrando um possível caminho para sua salvação. O elenco também conta com Rosa Ewerton, Maria Ethel e Nauro Machado.

Outro filme brasileiro que está em cartaz é ‘Teobaldo morto, Romeu exilado’ (exibições dia 5, às 20h30; e dia 7, às 18h30), destaque em diversos festivais de cinema nacionais. Esse drama dirigido por Rodrigo de Oliveira é um drama adulto com elementos de mitologia, fantasia e aventura. No filme, João é um músico de 32 anos que se isola em uma fazenda após Flora, sua mulher grávida, romper com ele. Depois de três meses, quando parece estar pronto para reparar seus erros junto a Flora e acompanhar o parto de seu filho, João é surpreendido pela misteriosa visita de Max, seu melhor amigo, há muitos anos desaparecido e dado como morto.

Escrito e dirigido pelo capixaba Rodrigo de Oliveira, ‘Teobaldo Morto, Romeu Exilado’ é o segundo longa-metragem do premiado diretor de ‘As Horas Vulgares’ (2011), e roteirista de ‘Exilados do Vulcão’ (2013), filme de Paula Gaitán que foi o grande vencedor do Festival de Brasília em seu ano.  O filme mais recente de Rodrigo, ‘Eclipse Solar’ (2016), recebeu o Prêmio Aquisição de Melhor Curta-Metragem pelo Canal Brasil na última edição da Mostra de Cinema de Tiradentes.

Desajustados e Kiriku - Um homem de 43 anos que vive com a mãe e tem apenas um amigo. Esse é o cenário do filme “Desajustados” (dia 29, às 17h30; dia 30, às 20h30; dia 2, às 18h; dia 3, às 18h; e dia 4, às 20h30), uma co-produção entre a Islândia e a Dinamarca, que venceu três prêmios no Festival de Tribeca. O drama é sobre Fusi e sua rotina monótona, até o aparecimento da vibrante Alma e da jovem Hera, que o farão mudar sua vida e seus hábitos de solteirão. Com censura 14 anos e direção de Dagur Kari, ‘Desajustados’ traz no elenco Gunnar Jónsson, Illmur Kristjánsdóttir, Arnar Jónsson e Margrét Helga Jóhannsdóttir.

Fechando a programação, tem a animação ‘Kiriku – Os homens e as mulheres’ (dias 2, 3, 9 e 10, sempre às 16h). Mais uma obra da série dirigida por Michel Ocelot. A produção francesa é uma animação baseada em tradições africanas. Kiriku é um menininho minúsculo, que oferece lições de solidariedade, amor e amizade à sua tribo. A censura é livre.

A sinopse é a seguinte: Kiriku é chamado para salvar sua aldeia de perigos sobrenaturais e humanos, o que ele faz com muita astúcia e humor, além de uma certa ingenuidade sobre o mundo. Contado pelo seu avô, o homem sábio que vive na Montanha Proibida, o filme entrelaça uma coleção de fábulas misturando narrativa tradicional e mitologia com pedaços de humor e sagacidade.