João Pessoa
Feed de Notícias

Bibliotecas públicas do Estado reúnem acervo de cerca de 130 mil obras

segunda-feira, 28 de maio de 2012 - 09:06 - Fotos:  José Lins/Secom-PB

História e conhecimento ao alcance do povo. Assim se apresentam as bibliotecas públicas mantidas pelo Governo do Estado. Juntas, elas reúnem um acervo aproximado em 130 mil obras. São títulos das mais diversas áreas de conhecimento, entre eles, raridades de séculos passados e peças preciosas, que tratam pormenores da memória e da cultura do povo paraibano.

Atualmente, as principais bibliotecas mantidas pelo Governo do Estado estão concentradas em João Pessoa. A maior delas é a Juarez da Gama Batista, que funciona nas dependências do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, desde 1982. O local integra a Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc). Mas sua história teve início bem antes disso.

A biblioteca foi oficialmente fundada em 1857 ocupando, inicialmente, salas do Lyceu Paraibano, com o nome de Biblioteca Pública da Paraíba. Atualmente, a Juarez da Gama Batista está organizada em um espaço de dois mil metros quadrados, dedicados inteiramente à leitura, onde podem ser encontradas cerca de 100 mil obras.

Já no Centro de João Pessoa, especificamente na Avenida General Osório, um prédio histórico abriga, há seis décadas, a Biblioteca Pública Estadual. Por fora, a arquitetura histórica chama atenção, inclusive de turistas: exemplar típico da arquitetura neoclássica do final do Século XIX, a edificação se destaca com imponência.

O local é um marco para a memória paraibana, por já ter abrigado uma Escola Normal, a Assembleia Legislativa e a redação do jornal A União. Dentro do prédio, 42 estantes aglutinam um acervo de 16.640 livros. Ainda na Capital paraibana, encontra-se a Fundação Casa de José Américo, situada na orla do Cabo Branco. Lá, funciona a Biblioteca Dumerval Trigueiro, com aproximadamente 12 mil títulos disponíveis ao público em geral, para leitura presencial.

Referência na PB – A Juarez da Gama Batista passou pouco mais de um século funcionando no Lyceu Paraibano. “Em 1939, ela foi transferida para um prédio na Avenida General Osório, no Centro da Capital, até ser definitivamente estabelecida no Espaço Cultural, ganhando o nome de Juarez da Gama Batista, em homenagem ao escritor pessoense que foi integrante da Academia Paraibana de Letras”, explica Cybelle Macedo, atual coordenadora da biblioteca.

Na esfera administrativa, a unidade exerce hoje um papel de destaque em toda a Paraíba por assumir a coordenação do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, vinculado ao Ministério da Cultura e Fundação Biblioteca Nacional. Através do sistema, ela dá assistência aos municípios estaduais no que diz respeito à implantação de bibliotecas, treinamento e todo apoio técnico.

Acervo – As bibliotecas públicas do Estado têm, em comum, a variedade temática de seus acervos, que passeiam por todas as áreas de conhecimento. Entretanto, cada uma delas chama atenção por possuir obras raras e importantes para a memória da Paraíba.

Na Biblioteca Pública Estadual, por exemplo, existe um conteúdo vasto sobre a história do Estado. “São cerca de quatro mil livros sobre o tema. Eles são procurados por estudantes e pesquisadores que, inclusive, contribuem com a ampliação do acervo, também doando livros”, explica Severina Kátia da Silva, coordenadora da unidade.

Já a Juarez da Gama Batista conta com um acervo exclusivo de autores paraibanos, reunindo cerca de seis mil títulos. Além deles, existem aproximadamente mil obras em Braile. “Estamos agora preparando o Memorial Tarcísio Burity, que será um ambiente específico dentro da biblioteca, que deixará disponível quase seis mil obras do acervo pessoal de Burity, que foi ex-governador da Paraíba e fundador do Espaço Cultural”, adianta Cybelle.

A Juarez da Gama Batista também possui uma sala destinada a obras raras, que precisam de cuidados especiais para ser manuseadas. Entre os títulos, está “Os Sermões”, criado pelo padre Antônio Vieira, em 1692; o “France Contemporaine”, lançado em 1895 pela Academia Francesa, e aborda o regime moderno da França; e uma biografia do escritor brasileiro Machado de Assis, lançada em francês, em 1909.

A Fundação Casa de José Américo, por sua vez, além da Biblioteca Dumerval Trigueiro, que apresenta obras que abrangem todas as áreas de conhecimento, possui uma biblioteca reservada, com um acervo que pertenceu ao Patrono da instituição, Ministro José Américo de Almeida, disponibilizada apenas para visitação pública.

Espaço para leitura - Na prática, a Juarez da Gama Batista é uma referência para estudantes e pesquisadores que lotam a unidade – são cerca de 400 visitas, diárias. Pesquisas realizadas pela coordenação da biblioteca apontam que 42% dos usuários visitam o espaço diariamente, enquanto 32,5% a frequenta até três vezes por semana. A unidade dispõe de mesas coletivas, 36 cabines individuais e 323 cadeiras para acomodar os leitores.

Entre eles estão os estudantes Volmer Ferraz e Duílio Montenegro, que estão se preparando para prestar vestibular para Medicina. “Venho à biblioteca diariamente e ela tem sido fundamental para minha jornada de estudos. Em casa não seria a mesma coisa”, revela Volmer. Duílio concorda com o amigo, explicando que as acomodações da biblioteca propiciam o estudo. “Aqui encontramos silêncio, conforto e um grande acervo atualizado. Esqueço o mundo lá fora. Passamos a manhã inteira concentrados na leitura”, acrescenta Duílio.

Algumas pessoas conhecem as bibliotecas nos tempos de escola, mas seguem as frequentando, mesmo já tendo concluído o Ensino Superior. Nesta situação encontra-se muita gente que está se preparando para concurso público, como o auxiliar administrativo José Leandro. “Em 2003, quando eu fazia o Ensino Médio, eu já visitava a Biblioteca Pública Estadual, para pesquisas. Voltei a frequentar este ano, para me preparar para concurso. O ambiente é maravilhoso para o estudo. Chego a passar oito horas aqui dentro, diariamente”, comenta.

A estudante Auricélia Maria da Silva enfrenta jornada parecida. Ela conheceu a Biblioteca Pública Estadual há seis meses, por indicação de um amigo. Desde então, criou o hábito de estudar para concurso público lá, todos os dias. “Gosto do lugar, a equipe é bastante atenciosa e a iluminação é propícia ao estudo. Já conheci várias outras pessoas que procuram a biblioteca com o mesmo intuito que eu. Nisso, acabamos até compartilhando conhecimento”, revela.

Serviço – A Biblioteca Juarez da Gama Batista, no Espaço Cultural, funciona todos os dias da semana. De segunda a sábado, ela está acessível ao público das 7h às 19h, e no domingo das 8h às 14h. “Os usuários podem se cadastrar, apresentando RG, CPF e comprovante de residência. Eles têm direito a locar até três livros de uma só vez e passar, no máximo, 15 dias com cada um deles”, explica Cybelle. O telefone para contato é o (83) 3211-6264.

A Biblioteca Pública Estadual e a Dumerval Trigueiro estão abertas de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h, apenas para leitura presencial. A Biblioteca Pública fica na Avenida General Osório, 253, no Centro. O telefone para informações é o (83) 3218-4195. A Dumerval Trigueiro fica localizada na Fundação Casa de José Américo, na Avenida Cabo Branco, 3336, no bairro do Cabo Branco. O telefone para contato é o (83) 3214-8538.