Fale Conosco

10 de novembro de 2010

Biblioteca Átila Almeida da UEPB adquire mais obras para seu acervo



A Universidade Estadual da Paraíba recentemente adquiriu toda uma coleção do acervo pessoal de cordéis do professor e colecionador cearense, Francisco Gilmar Cavalcante de Carvalho. Para selar tal aquisição, o docente estará no campus I da UEPB, em Campina Grande, a fim de realizar a entrega simbólica do material, bem como proferir a palestra intitulada “Patativa e o mundo do cordel” – oportunidade em que comentará a relação do poeta conhecido como Patativa do Assaré com esse gênero literário. A preleção acontecerá no dia 17 de novembro, às 9h, no Auditório da Biblioteca Central da UEPB, campus de Bodocongó.

O professor Francisco Gilmar afirmou que nesta oportunidade, a ideia é discutir a relação ambígua que Patativa do Assaré tinha com o cordel. “Patativa não gostava de cordéis, mas produziu vários. Achava uma publicação menor, talvez uma visão elitista”, comentou Gilmar.

A diretora da Biblioteca Central (BC) da UEPB, professora Manuela Maia, explicou que até este ano, coordenava um projeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) denominado “Desenvolvimento de uma aplicação web para gerenciamento de cordéis na Biblioteca Átila Almeida/UEPB”. Nesse projeto, era realizado encaminhamento de questionários aos pesquisadores e usuários que efetuaram visitas à Biblioteca Átila Almeida com o intuito de conhecer suas demandas de informação.

Um dos entrevistados, o professor Francisco Gilmar, demonstrou interesse em vender o seu acervo de cordéis para a UEPB. Manuela explicou que, com essa aquisição, a Biblioteca Átila Almeida passa a ter mais de nove mil títulos e exatos 15.232 volumes de cordéis. “A iniciativa representa um expressivo aumento em termos de acervo, consolidando o destaque nacional da UEPB em relação à preservação e à conservação da cultura popular nordestina”, comentou.

Outro ponto importante acrescentado pela diretora é que, na Biblioteca Átila Almeida, a coleção existente pertencia ao professor que denomina o espaço. Tendo a morte de Átila Almeida ocorrido em 1981, a coleção de cordéis se restringia a esse período. Manuela enfatizou, ainda, que o espaço intitulado Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida é tratado de forma diferenciada, como arquivos e documentos especiais. Fisicamente, a coleção de cordéis de Átila ainda ficará separada de materiais adquiridos posteriormente, como é o caso da coleção do professor Gilmar, haja vista a qualidade histórica dos documentos.

“O acervo da Biblioteca Átila Almeida tem período limite de 1905 a 1981, a nova aquisição ultrapassa esse período, ampliando e atualizando a coleção”, completou Manuela, afirmando que no citado acervo, constam documentos incompletos dos seguintes cordelistas: Patativa do Assaré, Manoel Monteiro Rodolfo Coelho Cavalcante, José Costa Leite, Apolônio Alves dos Santos, Luiz da Costa Pinheiro, entre outros.

Além da Biblioteca Átila Almeida, localizada no primeiro andar do prédio da Administração Central da UEPB, campus de Bodocongó, a Universidade possui uma coleção de cordéis no Centro de Educação (CEDUC), na unidade do Centro, em Campina Grande, doada pelo conhecido cordelista campinense Manoel Monteiro; e no campus VI, no município de Monteiro. Em ambos os locais, funcionam cursos de graduação Licenciatura em Letras.

Mais sobre o colecionador

Francisco Gilmar Cavalcante de Carvalho nasceu em Sobral, Ceará. Professor da Universidade Federal do Ceará (UFC). É Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Autor de Publicidade em Cordel (São Paulo: Maltese, 1994); Madeira Matriz (São Paulo: Annablume, 1999); Patativa do Assaré (Fortaleza: FDR, 2000); Patativa Poeta Pássaro do Assaré (Fortaleza: Omni, 2002), e Desenho Gráfico Popular (São Paulo: IEB/USP, 2000); dentre outros trabalhos acadêmicos. Tem artigos publicados em revistas do Brasil e do exterior.

Como ficcionista, publicou Pluralia Tantum (Fortaleza: GRECEL, 1973); Parabélum (Fortaleza: GRECEL, 1977); Queima de Arquivo (Fortaleza: SECULT, 1983); Resto de Munição (Fortaleza: SECULT, 1984): Buick Frenesi (Fortaleza: SECULT, 1985); e Pequenas Histórias de Crueldade (Fortaleza: SECULT, 1987).

Mais sobre Patativa do Assaré

Antônio Gonçalves da Silva, mais conhecido como Patativa do Assaré foi um poeta popular, compositor, cantor e improvisador brasileiro, morto em julho de 2002. É considerado uma das principais figuras da música nordestina do século XX. Aos doze anos, frequentava a escola local da cidade do Crato, onde foi alfabetizado. A partir dessa época, começou a fazer repentes e a se apresentar em festas e ocasiões importantes. Por volta dos vinte anos recebeu o pseudônimo de Patativa, por ser sua poesia comparável à beleza do canto dessa ave, diz-se.

Ascom/UEPB