João Pessoa
Feed de Notícias

Bangüê tem sessões gratuitas no fim de semana

sexta-feira, 30 de outubro de 2009 - 17:53 - Fotos: 

No começo da tarde desta sexta-feira (30), o presidente Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), Maurício Burity, anunciou que neste fim de semana não será cobrado ingressos para as sessões do filme 'A Festa da Menina Morta’, do ator Matheus Nachtergaele. O filme, que teve pré-estreia na quinta-feira, com participação do diretor, pode ser visto nesta sexta, sábado e domingo, em dois horários: 18h30 e 20h30. Antes dele, o cinema exibe o curta paraibano 'Tempo de Ira'.

Quando esteve no Sertão da Paraíba, em 1999, filmando ‘O Auto da Compadecida’ com o diretor Guel Arraes, o ator Matheus Nachtergaele foi a uma festa na qual as pessoas adoravam o pedaço de um vestido de uma menina morta, encontrado em um mandacaru. Este foi o ponto de partida para o drama ‘A Festa da Menina Morta’.

“Por algum motivo, a família considerou isso um milagre e passou a louvar esses trapinhos como se fosse uma coisa muito preciosa, como se fosse alguma coisa da menina que tivesse restado”, conta Nachtergaele. “Eu fiquei muito comovido com isso e pensei que daria um filme bonito, comovente, ao mostrar essa capacidade do homem de ter fé”.

O longa de Matheus Nachtergaele narra a história de uma população ribeirinha do alto Amazonas que comemora a Festa da Menina Morta. O evento celebra o milagre realizado por Santinho, que após o suicídio da mãe recebeu em suas mãos, da boca de um cachorro, os trapos do vestido de uma menina desaparecida.

A menina jamais foi encontrada, mas o tecido rasgado e manchado de sangue passa a ser adorado e considerado sagrado. A festa cresceu indiferente à dor do irmão da menina morta, Tadeu. A cada ano as pessoas visitam o local para rezar, pedir e aguardar as "revelações" da menina, que através de Santinho se manifestam no ápice da cerimônia.
 No elenco estão Daniel de Oliveira (‘Cazuza’), Jackson Antunes (astro da novela ‘A Favorita’), Dira Paes (‘Baixio das Bestas’) e Cássia Kiss (a juíza de ‘Meu Nome Não é Johnny’).

Assessoria de Imprensa da Funesc