João Pessoa
Feed de Notícias

Banco de Leite Anita Cabral participa de ação sobre aleitamento materno no Presídio Feminino Júlia Maranhão

quarta-feira, 15 de março de 2017 - 09:04 - Fotos:  Secom-PB

A amamentação é um processo que possibilita uma aproximação entre mãe e bebê, fortalece o vínculo afetivo e promove um desenvolvimento saudável da criança. Toda mulher pode amamentar, inclusive a que é privada de liberdade, o que é assegurado por lei. No caso das apenadas, o direito de ficar junto ao filho é garantido nos primeiros seis meses de vida do bebê, período em que deve ocorrer o aleitamento materno.

Com o objetivo de tornar esse momento mais humanizado e garantir os direitos das puérperas, o Banco de Leite Humano Anita Cabral, que compõe a rede estadual de saúde participou, na manhã da terça-feira (14), de uma roda de conversa com as reeducandas do Presídio Feminino Maria Júlia Maranhão, no bairro Mangabeira, em João Pessoa.

A atividade, que foi organizada pela Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Gerência de Atenção à Saúde da Secretaria e a equipe de saúde prisional, contou com a participação de mais de dez mulheres gestantes ou em processo de amamentação, que estão restritas de liberdade.

Participaram do encontro duas enfermeiras e uma pediatra do Banco de Leite Anita Cabral. Na ocasião, foram discutidos os cuidados a serem adotados com o recém-nascido, além de orientações sobre a amamentação, como exemplo, a importância de oferecer o aleitamento materno para o bebê, pega e posicionamentos corretos, prevenção e tratamento de intercorrências mamárias, dificuldades no processo de amamentação, além de recomendações relacionadas à manutenção para uma adequada produção de leite.

De acordo com a diretora geral do Banco de Leite Humano Anita Cabral, Thaise Ribeiro, o encontro é fruto da parceria com a penitenciária Júlia Maranhão estabelecida desde 2012, com o objetivo de oferecer orientações para as mulheres grávidas e lactantes.

A enfermeira Dayse Costa informou que “foi um momento muito produtivo e de troca de informações, onde as mães fizeram perguntas e desconstruíram algumas ideias equivocadas a cerca da amamentação, além disso, foram realizadas também demonstrações práticas com manequins. Entre as dificuldades apresentadas pelas reeducandas estão os mitos em relação ao aleitamento, a exemplo, que o leite é fraco ou insuficiente, a posição correta para amamentar o bebê e a amamentação cruzada”, disse.

Deyse Costa destacou que, entre as principais recomendações abordadas está à importância do bebê ser amamentado pelas mães, principalmente nos primeiros seis meses de vida.

Na ocasião, as reeducandas tiraram dúvidas relacionadas aos itens abordados e também solicitaram orientações necessárias ao dia a dia, para o cuidado e amamentação dos filhos.