Fale Conosco

18 de junho de 2011

Bailarinas recebem a sapatilha de ponta no Santa Roza



Após anos de dedicação e prática, 16 dançarinas da Escola de Dança do Teatro Santa Roza receberam, na noite desta sexta-feira (17), a tão sonhada sapatilha de ponta. A mudança de nível foi oficializada durante o ‘V Cerimonial do Sapato de Ponta’, que contou com a participação de 35 bailarinas, do nível básico ao intermediário. A solenidade, organizada pela bailarina e coreógrafa Denilce Regina, madrinha do cerimonial, teve início às 20h, no Teatro Santa Roza, em João Pessoa.

“Este momento é um divisor de etapas no balé clássico”, destaca Denilce.  “Elas passam a treinar a dança sobre uma sapatilha feita de gesso, que é dura, sendo necessária maior experiência e esforço para utilizá-la com naturalidade”, completou. Segundo a coreógrafa, cada dançarina leva, em média, três anos de prática antes de subir na ponta, na faixa etária  que ultrapassa os 12 anos. Esse período pode variar de acordo com estatura, preparo físico e talento pessoal.

Denilce Regina ressaltou ainda que dominar a sapatilha de ponta é um sonho para as jovens bailarinas e o evento realizado nesta sexta é uma prova de que elas avançaram um passo em busca desse sonho. Nessa nova etapa, elas assumem o compromisso de intensificar os treinos. “Para elas é um sonho poder dançar na ponta como as bailarinas profissionais. As 16 meninas estão aptas a começar o treino com a sapatilha de ponta, mas para alcançar tem que se dedicar, pois a partir de agora a dificuldade é maior e os ensaios se tornam um pouco mais exaustivos”, frisou.

A tradicional Escola de Dança do Teatro Santa Roza pertence à Fundação Espaço Cultural da Paraíba, FUNESC, e é referência na Paraíba em formar bailarinos profissionais de estilos variados.

Evento – O cerimonial começou com a aula pública, mostrando o trabalho do básico ao intermediário. Em seguida, a madrinha de turma, Itamira Barbosa, entregou as sapatilhas de ponta às alunas consideradas aptas. Em seguida, foram apresentadas coreografias em grupos que variavam do clássico ao contemporâneo. Ao final do evento, a madrinha de turma apresentou um estudo contemporâneo.