João Pessoa
Feed de Notícias

‘Aula cantada’ movimenta ensino de história em escola da rede estadual

quinta-feira, 6 de abril de 2017 - 16:22 - Fotos: 

Os alunos do 9º ano da Escola Estadual Maria de Fátima Souto, em João Pessoa, aprendem história de forma diferente e inovadora. O professor da disciplina, Cláudio César Fernandes, utiliza o violão e compõe canções que ajudam os alunos a memorizar o conteúdo. A aula de ‘história cantada’ chama a atenção não só dos alunos, mas dos outros professores, da gestora e dos pais dos estudantes, que ficam animados com o método divertido implantado pelo professor.

Conforme explicou o professor Cláudio César, “os alunos no início ficavam meio envergonhados para cantar, mas logo se soltam ao ponto de segurar a caneta como se fosse um microfone. A letra das músicas é usada como parte da revisão da disciplina. No momento das avaliações é comum ver um aluno ou outro sussurrando à música tema. Alguns chegam a dizer que a resposta da questão x ou y só foi possível por conta da memorização da canção”.

E ressaltou: “Minha satisfação como docente está em ver o interesse maior dos alunos pela disciplina ao ponto de pesquisarem além do livro didático e me surpreenderem com alguma curiosidade e também aqueles alunos que dizem que nunca gostaram de História, passarem a gostar ou a não mais enxergarem a disciplina como um bicho de sete cabeças”.

Segundo ele, a prática vem sendo utilizada em sala de aula há 3 anos e meio. “No início peguei algumas paródias com outros professores na net. Agora estou compondo para que atenda melhor as necessidades do conteúdo ministrado”, explicou.

Maria Eduarda Silva, de 13 anos, que veio de uma escola particular, tinha medo do que iria encontrar em uma escola pública. Hoje, a aluna do nono ano contou como é sua rotina na escola estadual. “O ensino aqui não é tão diferente, inclusive acho que aqui o professor tem mais liberdade para criar e passar o conteúdo. Acho as provas aqui mais difíceis, por isso ainda estou me acostumando”, contou a aluna, que se surpreendeu com o método utilizado pelo professor Cláudio Fernandes. “Gosto muito das músicas que o professor utiliza, pois memorizamos e isso ajuda muito na hora da prova. Esse método deixa todos animados em sala de aula”, disse a aluna.

Raynara Victória Galdino da Silva, de 14 anos, explicou como são as aulas. “Aqui temos que estudar bastante, pois os professores são muito bons e exigem bastante! A aula de história tem o diferencial da cantoria, que adoro, pois ajuda a entender e decorar a matéria. Me pego cantando em casa, na igreja e, quando as pessoas perguntam e explico, todos acham o máximo esse método de estudo”.

O aluno Gabriel Alves da Silva, que estuda há três anos na Escola Estadual Maria de Fátima Souto, falou como a música muda a cara da aula. “Acho esse método do professor muito diferenciado. Só de ver o violão já ficamos felizes, já chama a nossa atenção. Compomos junto com ele, cantamos, todos participam e no final fica mais fácil de memorizar”.

A gestora da escola, Nízia Maria Fernandes, explicou que a unidade funciona no turno da manhã, com alunos do sexto ao nono ano e possui professores comprometidos com a aprendizagem. Ela destacou a importância de encontrar formas de passar o conteúdo das disciplinas de forma diferenciada e parabenizou a iniciativa do professor Cláudio Fernandes. “Aqui da sala escuto o movimento da aula e como ele conduz, criando a letra e adequando o texto, que seria dado no quadro, em forma de música, envolvendo a todos e promovendo a aprendizagem de forma lúdica e rica”, analisou a gestora.

Nízia também observou como o método utilizado pelo professor mudou a rotina dos alunos. “Essa maneira consistente de levar o aprendizado é muito importante, pois é muito mais fácil para os adolescentes decorar a letra de uma música do que o texto do livro. Aqui, vemos eles cantando pelos corredores e no intervalo e ouvimos comentários dos pais elogiando com empolgação a iniciativa do professor, que conduz essas aulas com compromisso, trazendo formas diferentes de passar o conteúdo utilizando a tecnologia, a música, motivando seus alunos a virem para a escola porque sabem que terão uma aula especial”, finalizou a gestora.