João Pessoa
Feed de Notícias

Paraíba quebra recorde e conquista 26 medalhas nas Paralimpíadas Escolares

quarta-feira, 27 de novembro de 2013 - 18:30 - Fotos: 

O judô paraibano conquistou, no final da tarde desta quarta-feira (27), três medalhas nas Paralimpíadas Escolares 2013, que acontecem na cidade de São Paulo. Foram duas pratas e uma de bronze. Davi Dias de Souza, Natália de Oliveira Rocha e Jullyane de Farias Cipriano, todos do Instituto dos Cegos de Campina Grande, se emocionaram quando tiveram seus nomes anunciados no Parque Anhembi-SP. Com as conquistas, o Estado já coleciona 26 medalhas em apenas dois dias de competição, superando o ano passado que foram 23 em quatro dias de disputas.

Natália de Oliveira Rocha, 14 anos, formou dobradinha paraibana (prata e bronze) com Jullyane de Farias Cripriano, 15, na categoria médio pesado. Davi Dias de Souza, 15 anos, foi vice-campeão na categoria médio. A delegação paraibana de judô foi composta por quatro atletas. José Tiago Oliveira Santos foi o único que não subiu ao pódio.

Treinados por Hélio dos Santos Tavares, os judocas Davi Dias, Natália de Oliveira e Jullyane Farias comemoraram muito as conquistas. “Estou muito feliz. É um sonho realizado. Não é fácil estar aqui, em São Paulo, e conquistar uma medalha paralímpica. Existem muitos judocas bons, mas a medalha de prata vai para o meu Estado”, disse Davi dos Santos.

Muito emocionada, Natália de Oliveira dedicou a conquista ao treinador Hélio dos Santos, aos familiares e a todos que integram o Instituto dos Cegos de Campina Grande. “Esta medalha vai ficar para a eternidade. É muito emocionante. Estou feliz e realizada”, disse a judoca.

Hélio dos Santos, técnico das judocas, era só alegria “Isto é fruto de um trabalho a curto e longo prazo que vem dando resultado. No próximo ano queremos estar nas Paralímpiadas Escolares com um número maior de judoca”, afirmou, parabenizando o Governo do Estado pela locomoção dos atletas até São Paulo. “Com nossa viagem de avião, os judocas têm mais tempo para descansar e se preparar para as disputas”, frisou.

Quebra de recorde

O atletismo da Paraíba conquistou mais 11 medalhas, na manhã desta quarta-feira (27), nas Paralimpíadas Escolares 2013, que acontece em São Paulo. As disputas aconteceram no Estádio Ícaro de Castro Mello, em Ibirapuera. Foram seis de ouro, duas de prata e três de bronze. Com o resultado, aumentou para 26 a quantidade de medalhas conquistadas pelos atletas do Estado apenas nesta modalidade esportiva. A competição consagrou Joeferson Marinho de Oliveira, 13 anos, como tricampeão brasileiro nas provas de 100 e 300 metros, categoria T-12. Sozinho, ele já coleciona seis medalhas paralimpícas.

Além de Joeferson, campeão nos 100 e 300 metros no lançamento de pelota, também subiram no lugar mais alto do pódio os paraibanos Renan Bezerra da Silva (300m, categoria T-11), Severino Francisco da Silva (arremesso de peso, categoria F-20B), Elivelton Pinto da Costa (400m corrida), Felipe da Costa dos Santos (lançamento de pelota) e Petruci Ferreira dos Santos (arremesso de peso). Daniel Pablo ficou com a segunda medalha de prata, já que a primeira havia sido conquistada por Joeferson. Os bronzes foram para os paraibanos José Eriomar Batista, no arremesso de peso, categoria F-11; Felipe Fernandes Nogueira, também arremesso de peso e Daniel Pablo (no lançamento de pelota).

As disputas do atletismo prosseguem nesta quinta-feira (28), quando quatro atletas da Paraíba estarão buscando a consagração e um lugar no pódio. As Paralimpíadas Escolares reúnem cerca de 1.300 atletas de 25 Estados brasileiros e mais o Distrito Federal. A Paraíba é a maior delegação do Nordeste e a décima primeira do país com 79 pessoas, das quais, 45 atletas.

De acordo com Manoel Ubirajara de Lima Mendes (Mazinho), um dos técnicos da equipe paraibana de atletismo, os atletas do Estado continuam superando seus limites. “Está acima do esperado. Nesta modalidade, já ultrapassamos a quantidade de medalhas de anos anteriores. Nossos atletas estão demonstrando que, com ainda mais incentivo, são capazes de competir em pé de igualdade com os Estados dos grandes centros do Brasil”, disse Mazinho.