João Pessoa
Feed de Notícias

Atendimento prestado pelo Governo do Estado aos hemofílicos é elogiado por empresa multinacional

sexta-feira, 20 de setembro de 2013 - 15:45 - Fotos:  Ricardo Puppe

O atendimento prestado pelo Governo do Estado aos hemofílicos da Paraíba recebeu elogios da Empresa Multinacional Baxter, que fornece os fatores sanguíneos para esses pacientes e está patrocinando o 1º Encontro de Hemofilia da Hemorrede da Paraíba que acontece nesta sexta-feira (20) no Hotel Victory, em João Pessoa. De acordo com o médico e farmacologista Ricardo Mesquita Camelo, o atendimento prestado aos pacientes com hemofilia é feito por profissionais competentes que estão comprometidos com o bem estar dessas pessoas.

Ricardo Mesquita destacou que o encontro é mais uma troca de experiência entres os profissionais de saúde, o que garante que o paciente com hemofilia possa desfrutar de um atendimento com qualidade, segurança e eficiência. “O que vejo aqui na Paraíba são profissionais capacitados que dão toda atenção aos hemofílicos, e toda uma estrutura para oferecer um atendimento digno e humanizado, que ameniza o sofrimento”, disse o médico.

A enfermeira da Baxter, Micheli Matias, disse que a sua missão no evento é capacitar os profissionais de saúde para que estimulem o paciente a aderir ao tratamento em domicílio. “É muito importante para o hemofílico fazer uso do seu fator em casa, não demora mais do que meia hora e com isso ele não perde trabalho, escola e, acima de tudo, se sente útil. Além de que a sua autoestima melhora muito”, disse a enfermeira. Ela disse que o hemofílico tem uma deficiência de coagulação que não o impede de desenvolver boa parte das atividades de uma vida normal.

O atendimento prestado ao hemofílico pelo Governo do Estado também foi elogiado pelo presidente pela Sociedade de Hemofílico da Paraíba, Elias Marques Ferreira. Ele disse que hoje o paciente com hemofilia na Paraíba desfruta de um atendimento com qualidade e eficiência o que não acontecia antes. “Aqui é usado o que há de mais moderno no tratamento da doença”, disse.

Para a diretora do Hemocentro de João Pessoa Sandra Sobreira, a Hemorrede sempre preza por oferecer um atendimento com qualidade, segurança, eficiência e humanizado. “Primamos pela excelência no atendimento e trabalhamos com o objetivo de fazer com que esse atendimento aconteça de forma uniforme, de João Pessoa a Cajazeiras”, destacou.

Entre os participantes do encontro estava o biomédico Sebastião Medeiros Neto, que trabalha no Hemonúcleo do município de Princesa Isabel. Ele disse que o serviço atende a cinco pessoas com hemofilia e dentre os pacienteestá uma criança de 11 anos. “Os adultos fazem a aplicação do fator sanguíneo em casa, mas a criança vem todos os dias ao Hemonúcleo e recebemos todo o apoio do Hemocentro”, destacou. A enfermeira Hellen Mayara, que trabalha no Hemonúcleo do município de Itaporanga, disse que o serviço presta atendimento a dois irmãos e no Hemonúcleo de Monteiro a biomédica Joyce Cavalcante atende um paciente portador de hemofilia.

Temática – Entre os temas discutidos estão no encontro estão os aspectos gerais da hemofilia, importância da fase pré-analítica sobre a qualidade dos exames de hemostasia (coagulação), evolução do tratamento da hemofilia, educação do paciente, episódios hemorrágicos e profilaxias e imunotolerância: princípios e protocolos brasileiros. Esses assuntos estão sendo abordados por profissionais da Empresa Baxter, pelas Fundações de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco e da Bahia – Hemope e Hemoba, e por de profissionais do Hemocentro de João Pessoa.

Dados – Na Paraíba, 270 hemofílicos recebem atendimento na rede formada pelos Hemocentros de João Pessoa e Campina Grande e pelos Hemonúcleos. Nesses locais os pacientes recebem a atenção especial de uma equipe multiprofissional formada por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos e fisioterapeutas.

A chefe do setor de Hematologia do Hemocentro de João Pessoa, Sandra Sibele Figueiredo, explicou que os pacientes graves precisam tomar o componente sanguíneo três vezes por semana enquanto que os outros pacientes só precisam fazer uso do componente se apresentarem sangramento.

Hemofilia – A hemofilia é um distúrbio na coagulação do sangue, classificada nos tipos A e B. É uma doença genética, ou seja, transmitida dos pais para os filhos. Quando alguma parte do nosso corpo é cortada e começa a sangrar, as proteínas (elementos responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento de todos os tecidos do corpo) entram em ação para estancar o sangramento. Esse processo é chamado de coagulação. As pessoas portadoras de hemofilia, não possuem essas proteínas e por isso sangram mais do que o normal.

Na fase adulta, as hemorragias são menos frequentes, já que as atividades físicas tendem a diminuir de acordo com a idade e, portanto, os pequenos traumas (pancadas) também diminuem. Geralmente, os sangramentos são internos, mas também podem ser externos, na pele, provocados por algum machucado com aparecimento de manchas roxas ou sangramento. As mucosas (como nariz, gengiva) também podem sangrar. Os sangramentos tanto podem surgir após um trauma ou sem nenhuma razão aparente. Os cortes na pele levam um tempo maior para que o sangramento pare.

O paciente deve fazer exames regularmente e jamais utilizar medicamentos que não sejam recomendados pelos médicos.