João Pessoa
Feed de Notícias

Até o final deste ano, a Emater deve assistir mais de 64 mil agricultores

terça-feira, 29 de setembro de 2009 - 10:34 - Fotos: 

Esta quarta-feira, 30 de setembro, é uma data importante para a família rural paraibana. Neste dia, há 54 anos, nascia o Serviço de Extensão Rural da Paraíba, hoje representado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB).  Com uma larga folha de serviços prestados à agropecuária do Estado, a empresa tem ajudado o agricultor familiar a crescer, prosperar profissional e economicamente, com a criação de mais empregos e o aumento de renda, tornando a vida no campo mais fácil e gratificante.

Neste aniversário, segundo o presidente Hermano Araújo, a empresa tem muitos motivos para comemorar. Em parceria com os governos federal, estadual e municipais, foram firmados convênios que garantiram a presença da extensão rural nos 223 municípios com igual número de escritórios locais, além da ampliação da força de trabalho por meio de concurso público.

Devido a sua capilaridade, a Emater, vinculada a Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), é uma das principais executoras dos programas do Governo do Estado, sobretudo da agricultura familiar. Até o final deste ano, a empresa deve assistir diretamente 64.750 agricultores nos projetos de bovinocultura, caprinovinocultura, piscicultura, leite, horticultura, fruticultura, entre outros, afora programas de meio ambiente, artesanato e agroindústria.

Crédito rural

O crédito rural orientado, cujos projetos são elaborados por técnicos da Extensão Rural e contratados por instituições financeiras como o Banco do Nordeste e o Banco do Brasil, é o principal fator de crescimento da nossa economia primária, contribuindo para a geração de emprego e renda das famílias rurais paraibanas assistidas pela Emater.

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) tem um papel decisivo na implantação e na modernização da infraestrutura necessária ao fortalecimento da agricultura familiar, de forma a dinamizar o setor produtivo e assegurar a sustentação do desenvolvimento rural. Esta modalidade de atendimento tem possibilitado a geração de postos de trabalho e agregação de renda, oferecendo as condições necessárias para que as famílias permaneçam trabalhando dentro de suas unidades produtivas, ampliando e qualificando as suas atividades tradicionais, evitando assim o êxito rural.

Conforme relatório de informações mensais de atividades foi constatado que de janeiro a julho de 2009 foram contratados 6.309 projetos de créditos/planos agropecuários abrangendo recursos totais de R$ 16.406. 402,35. Desse total, no âmbito do Pronaf, mutuários do Grupo A, Grupo B e Agricultura Familiar, foram contratadas 6.200 propostas de financiamentos, envolvendo recursos da ordem de R$ 14.122.270,08, beneficiando igual número de famílias. 

Os projetos se destinam basicamente ao desenvolvimento de atividades agropecuárias, seja agricultura de sequeiro, fruticultura tropical, culturas irrigadas, agroecologia, atividades pecuárias, ações sociais, agroindústria e a comercialização de produtos agropecuários.

Com os trabalhos voltados para o meio rural, a Emater orientou diretamente 49.055 agricultores familiares, numa área de 270.538,4 hectares; 1.288 irrigantes em 1.909,0 hectares; 47.454 produtores em culturas de sequeiro, numa área de 135.161,0 hectares, além de 133.468,4 hectares para a alimentação animal.

Agricultura em sequeiro

A agricultura em sequeiro tem importância estratégica no desenvolvimento do Estado e está presente como atividade econômica na totalidade dos municípios paraibanos, proporcionando ocupação e renda. Os principais produtos são: algodão branco com 1.078 produtores ocupando uma área de 1.722 hectares, algodão colorido com 250 produtores numa área de 345; Amendoim com 475 produtores, numa área de 842 hectares; o urucum com 408 produtores em 978 hectares. Outros produtos trabalhados foram batata doce, batata inglesa, cana-de-açúcar. feijão, milho, arroz, mandioca e girassol.

Fruticultura tropical

A Extensão Rural com suas novas linhas de trabalho proposta pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA, com prioridade para o agricultor familiar, envolveu ações em 2008 no que diz respeito à cultura da pinha no Seridó paraibano, com parcerias com a Prefeitura de Assunção, Universidade Federal da Paraíba, por meio do Centro de Ciência Agrárias, Sebrae e Emater- PB. Destacamos a ação do Banco do Nordeste do Brasil, no apoio à fruticultura, com linha especial de crédito que financiou produtos como: caju, coco, manga, goiaba, uva, mamão, maracujá, laranja, graviola e abacaxi, pinha e banana.

Culturas irrigadas

A agricultura irrigada, fonte geradora de boa produtividade e absorção de mão-de-obra, é considerada uma atividade prioritária nos trabalhos da Emater. As principais culturas trabalhadas são: cana-de-açúcar, inhame, hortaliças, fitoterápicos, algodão branco, algodão colorido, feijão, milho, arroz, tomate, goiaba e mamão.
  
O Programa Tarifa Verde, por meio de convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Concessionária de Energia da Paraíba (Energisa) beneficiou neste ano 549 irrigantes, numa área de 1.032 hectares, com diversas culturas.

Com a irrigação noturna, o programa permite o fornecimento de energia elétrica para irrigação a baixo custo aos irrigantes, já que é feito fora do horário de pico de consumo. Tem como prioridade os agricultores familiares, proporcionando benefícios diretos no aumento da renda, na geração de emprego e na melhoria na qualidade de vida no campo. Como benefício indireto, o menor impacto sobre o meio ambiente, devido à substituição da matriz energética (combustível fóssil).

Estrutura hídrica

É uma preocupação permanente da empresa e dos agricultores familiares com a existência de recursos hídricos no semi-árido paraibano. A Emater contribuiu com a continuação de construções de cisternas, poços e açudes. No total, neste ano foram construídos 82 pequenos açudes, 188 cisternas e 41 poços.

Agroecologia

Em todas as regiões do Estado, existem ações voltadas para a transição da agricultura familiar tradicional, para a agricultura familiar de base ecológica, com intensidade no Cariri, Borborema, Curimataú e Agreste.

Por meio do Projeto Reflora foram capacitados dezenas de extensionistas rurais, fruto de convênio firmado entre a Emater- PB e o Ministério do Meio Ambiente – MMA. Assuntos dessa capacitação: Manejo Florestal Sustentável. Adequação Ambiental de Propriedades Rurais, Sistemas Agroflorestais, Credito Rural do Pronaf, Floresta e Silvicultura na Caatinga. Essa capacitação inclui um intercâmbio nos municípios pernambucanos de Sertânea, Afogados de Ingazeira e Petrolina, para observações em experiência práticas de uma produção de base ecológica e agroflorestal.
 
O convênio continuará em 2010 com a implantação de sistemas agroflorestais, destinados à alimentação de caprinos e extrativismo de frutos nativos. Em 2008, foi retomado o convênio Emater – PB/Sudema, para assessoria e encaminhamento das solicitações de licenciamento ambiental das atividades rurais, uso controlado do fogo e uso alternativo do solo. Para isso, foram capacitados 30 extensionistas das 15 regiões administrativas da Emater, em todo o Estado. Esses 30 técnicos ficaram como multiplicadores para o restante dos extensionistas da empresa.

Pecuária

A Emater dispensou atenção especial à atividade criando novos mecanismos de acesso tecnológico ao produtor familiar. As parcerias têm sido ampliadas, dinamizando ações. De janeiro a julho a empresa dispensou ênfase às campanhas de vacinações, principalmente, a da erradicação da febre aftosa, sob a coordenação da Secretaria de Estado do desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca – SEDAP.

Dentre os eventos realizados, merece destaque a participação e apoio à realização de exposições, feiras agropecuárias, campanhas de fenação e silagem, dias de campo e especiais, além das unidades técnicas demonstrativas, que aconteceram em diversos municípios paraibanos.

Um dos principais problemas da pecuária paraibana, enfocados no ano passado foi o ataque da Cochonilha Carmim, na palma forrageira. Para combater essa praga, a Emater desenvolveu um trabalho de manejo integrado junto com os pecuaristas. Outros projetos importantes, tais como avicultura alternativa, piscicultura, caprinocultura, comercialização, agroindústria, além de outros programas especiais, como o Programa Leite da Paraíba, também mereceram destaque.

Assentamento

As áreas submetidas às ações de reforma agrária, traduzidas em assentamentos em geral, são todas trabalhadas pela Emater nas várias regiões do Estado, ressaltando que esse público de assentados utiliza mão- de-obra familiar, daí uma maior necessidade da presença constante dos extensionistas das áreas econômica e social para oferecer uma assistência mais efetiva a esses produtores e suas famílias. Nos 137 assentamentos rurais do Incra, a Emater ofereceu assistência técnica a 3.509 famílias que habitam uma área de 34.289 hectares. Os convênios foram firmados entre o Incra, a Emater e a Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer).

Assessoria de Comunicação da Emater-PB