Fale Conosco

17 de maio de 2016

Assistentes Sociais são homenageados no Hospital de Trauma de João Pessoa



O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, realizou, nesta terça-feira (17), no auditório da instituição, uma série de homenagens aos Assistentes Sociais, por meio de seminários, Workshop, brindes e poesia. No evento, também foi comemorado os 80 anos da categoria no Brasil. Estiveram presentes na cerimônia de abertura o representante do Conselho Regional de Serviço Social (Cress), Flávio Nery, a ex-presidente da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Fundac), Sandra Marrocos, além da direção do hospital, professores de faculdades, assistentes sociais e estagiários.

Quem abriu o evento foi a diretora geral da instituição, Sabrina Bernardo, que discursou de forma emocionante como foi o primeiro contato com os profissionais do Serviço Social, ainda na adolescência. Ela aproveitou e ressaltou a importância desses profissionais. “O trabalho desenvolvido pelo Serviço Social na unidade de saúde é de imensa importância, é o cuidado especializado, é a humanização, é resolver, é dar as garantias da sociedade. Além do amparo, o carinho, e a recepção, garantindo a valorização de cada um”, frisou.

De acordo com a coordenadora do Serviço Social, Neuma Ribeiro, além da festividade, o dia também foi de propagar para todos os colaboradores o verdadeiro papel do assistente social. “Inicialmente se pensou nessa data para celebrar o nosso dia, mas a ideia se estendeu e aproveitamos para propor uma palestra sobre as demandas e os desafios do Serviço Social dentro do Hospital de Trauma. O objetivo é que toda comunidade hospitalar entenda nossa prática e compreenda nossa função”, esclareceu.

Ao longo do dia, vários temas foram abordados, a exemplo do Serviço Social na Área Hospitalar, pesquisas, projetos e os avanços nos 80 anos de implantação do Serviço Social no Brasil. Segundo a palestrante e coordenadora do curso de Serviço Social da Faculdade Internacional da Paraíba (FPB), Luciana Batista, a proposta é despertar no profissional as novas mudanças no âmbito nacional. “Trouxemos na palestra uma revisão na história e tentamos inserir dentro do contexto do Governo Federal, tendo em vista que existe uma pretensão de reforma na Saúde e Previdência. Por isso, mas do que nunca, esses profissionais têm que estão atentas as novas mudanças”, ressaltou.

A assistente social Kátia Gomes, que trabalha há quatro anos na unidade de saúde, descreveu a importância desses profissionais. “Ser assistente social é ser humana, é olhar o outro como gostaria de ser olhado, é sentir a dor do outro. É fazer com que os direitos dos pacientes sejam garantidos como a saúde e família. Hoje para mim o dia foi excelente, só felicidades e conquistas para todas as assistentes”, comentou.