João Pessoa
Feed de Notícias

Assistência ao paciente é prioridade no Plano de Combate à Dengue

segunda-feira, 23 de novembro de 2009 - 20:54 - Fotos: 

A assistência ao paciente será prioridade no Plano Estadual de Contingência para Situações de Epidemia de Dengue que foi discutido e apresentado na tarde desta segunda-feira (23) no auditório da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), em João Pessoa. O plano, após aprovação pela Comissão Intergestora Bipartite (CIB), passa a ser aplicado na prática a partir do próximo dia 4 de dezembro, com vigência de um ano. A reunião que discutiu o assunto contou com a presença de secretários municipais de saúde, profissionais da área de Atenção Básica e Vigilância Ambiental e Epidemiológica e gerentes das regionais de Saúde dos 16 municípios prioritários para as ações de combate a dengue. 

A gerente executiva de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Cleane Toscano, revelou que com a melhoria na assistência a SES pretende reduzir os casos de mortalidade por causa da dengue. Ela afirmou que a decisão de priorizar a assistência partiu do próprio Ministério da Saúde (MS), porque em todo o Brasil já existem três tipos de vírus da doença em circulação com a suspeita de que outro possa aparecer. Com isso, o quadro imunológico de uma pessoa que já teve a doença pode se agravar se contrair esse novo vírus levando a uma dengue hemorrágica.

Pactuação – Ela explicou que para a assistência, principalmente nos casos mais graves da doença, ser feita de forma rápida adequada e oportuna, está prevista a criação de uma rede hospitalar e de referência destinada a atender aos pacientes. Esse trabalho resultará de uma pactuação entre o Governo do Estado e os municípios.

“A porta de entrada desses pacientes será Atenção Básica, que encaminhará essas pessoas aos hospitais e unidades de saúde que farão parte da rede e o nosso objetivo é garantir uma atenção integral a eles”, enfatizou. Além da assistência, o Plano Estadual de Contingência para Situações de Epidemia de Dengue também contempla a gestão, vigilância epidemiológica, controle vetorial, comunicação/mobilização.

A gerente executiva de Vigilância em Saúde deixou claro que apesar do plano priorizar a assistência, as ações de prevenção continuarão sendo desenvolvidas pelos agentes de saúde dos municípios.  “Esse é um trabalho que não deve parar jamais e só alcançará os objetivos desejados com a efetiva participação da sociedade na adoção de medidas preventivas dentro das suas próprias casas e auxiliando os agentes de saúde”, destacou Cleane Toscano.
 
Nos municípios – Além de apresentar o Plano Estadual de Contingência para Situações de Epidemia de Dengue, a reunião serviu também para que os secretários municipais apresentassem um esboço dos seus planos locais. Após as discussões e aprovação, os planos municipais serão consolidados no Plano Estadual de Contingência da Dengue. Participaram da reunião os municípios de João Pessoa, Guarabira, Campina Grande, Cuité, Monteiro, Patos, Piancó, Catolé do Rocha, Cajazeiras, Sousa, Itabaiana, Conde, Cabedelo, Bayeux, Santa Rita e Lucena. Esses municípios foram escolhidos como prioritários porque juntos representam 47% da população paraibana, dentre outros fatores.

Situação da dengue – Segundo dados da SES, a Paraíba registrou 820 casos da doença este ano. No mesmo período do ano passado, foram confirmados 8.319. A redução da incidência do mal este ano no Estado é de 90,1%.  O gerente Operacional de Vigilância Ambiental da SES, Nilton Guedes, explicou que neste período a população deve ter cuidado com as chuvas de verão, pois são esparsas e a acumulação de água aliada à alta temperatura forma um ambiente ideal para a proliferação do mosquito.

Além disso, outras medidas de prevenção devem ser tomadas, como desinfetar e tampar as caixas d’água, guardar os pneus em local coberto e seco; não deixar que as garrafas acumulem água colocando-as sempre com a boca para baixo, observar sempre as calhas, para ver se existe água acumulada e colocar areia nos pratos das plantas.

 

Da Assessoria de Imprensa da SES