Fale Conosco

16 de julho de 2009

As ações, que incluem a compra de 30 mil litros de cabra diários, serão anunciadas pelo governador



O Governo do Estado vai concentrar esforços na implantação de um programa de recuperação da caprinocultura, com o lançamento um plano de apoio aos produtores rurais, com três ações para facilitar o acesso às tecnologias genéticas, e vai aumentar a aquisição de 14 para 30 mil litros de leite de cabra diários. A retomada desse programa de incentivo à caprinovinocultura na Paraíba como um todo deve ser anunciada oficialmente pelo governador José Maranhão no próximo dia 25, durante a realização da ‘Festa Bode na Rua’, na cidade de Gurjão, no Cariri paraibano.

Na ocasião, também acontecerá o leilão de 42 reprodutores e matrizes de caprinos e ovinos promovido pela Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária (Emepa). Essas informações foram dadas nesta quinta-feira (16) pelo secretário do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Ruy Bezerra Cavalcanti, durante entrevista coletiva.

Inclusão social – Segundo ele, isso vai garantir o desenvolvimento sustentado do semi-árido e a geração de oportunidades de renda para as famílias ali residentes. “O programa também permitirá a inserção social das pessoas que moram numa região onde as opções econômicas são poucas e a caprinocultura deu resultados”, afirmou.

Ainda como proposta de apoio à pecuária, ele informou que o esforço tem sido no sentido de conquistar em definitivo o selo de território livre da febre aftosa para a Paraíba, de modo a ampliar o mercado para seus produtos. As campanhas de vacinação vem se realizando dentro do calendário previsto.

Cadastro rural – Um dos itens da exigência do Ministério da Agricultura é o cadastramento das propriedades rurais, que está sendo realizado com maior agilidade e a previsão para sua conclusão é até o dia 15 de agosto. “Encontramos em 19 de fevereiro uma situação de 70 mil propriedades cadastradas e, de 26 de março até agora, chegamos a 108 mil cadastros, restando apenas em torno de uns 15 mil, mas vamos encerrar todo esse trabalho no início de agosto”, explicou.

Ele informou que na segunda quinzena de agosto, a Paraíba receberá uma auditoria do Ministério da Agricultura para verificar se o Estado cumpriu com os objetivos para poder sair desta classificação de risco desconhecido, o que vai abrir novos mercados.

Leilão – Sobre a realização do leilão de animais no dia 25 em Gurjão, o presidente da Emepa José Costa informou que serão 42 espécies de excelente qualidade genética, e mais 26 reprodutores transferidos em comodato para associações de criadores do Cariri, de modo que possam ter acesso a tecnologias para melhorar a qualidade de seus rebanhos.

Costa recordou as ações empreendidas pelo governador José Maranhão ainda no seu primeiro mandato, quando importou da África do Sul raças de alto padrão genético e a transferência de embrião. À época foram distribuídos 3.509 reprodutores e matrizes, o que significa dizer que de lá para cá pelo menos 150 mil animais tenham a genética da Emepa.
Esse programa também garantiu um aumento na produtividade de carne, com a introdução do cordeiro precoce que permite o abate com 28 quilos em apenas 85 dias, ao contrário do sistema tradicional quando esse animal está pronto para o abate com mais de 250 dias. Isso provoca perda de ganhos ao produtor.

Segundo ele, o governo quer que esse ganho de produtividade também seja possível aos pequenos e médios criadores. “Esse trabalho vai ser retomado com muita força porque a Emepa está recebendo do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) R$ 10 milhões para a aquisição de novos equipamentos, melhorias das estações experimentais e treinamento de pessoal”, finalizou.

José Nunes, com foto de Cláudio César, da Secom-PB